A Invenção de Hugo, de Martin Scorsese, tem estreia prevista para 16 de Fevereiro DR
Foto
A Invenção de Hugo, de Martin Scorsese, tem estreia prevista para 16 de Fevereiro DR

"A Invenção de Hugo" e "O Artista" lideram nomeações

"A Invenção de Hugo", de Martin Scorsese, e "O Artista", de Michel Hazanavicius, lideram as nomeações aos Óscares, com 11 e dez nomeações, respectivamente

"A Invenção de Hugo", de Martin Scorsese, e "O Artista", de Michel Hazanavicius, lideram as nomeações aos Óscares, com 11 e dez nomeações, respectivamente. Os nomeados foram anunciados esta terça-feira em Los Angeles por Tom Sherak, presidente Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, e pela actriz e membro da Academia Jennifer Lawrence.

Sem surpresas, “O Artista” é o favorito da corrida aos Óscares em 2012. O filme mudo francês de Michel Hazanavicius, que chega às salas portuguesas já na próxima semana, recebeu dez nomeações para os prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a serem entregues em Los Angeles no próximo dia 26 de Fevereiro.

É o único filme que está presente em três das quatro categorias principais – melhor filme, melhor realizador e melhor actor (Jean Dujardin) – para lá de conseguir o “milagre” de ser uma produção estrangeira (mesmo que rodada em parte nos EUA com uma equipa parcialmente americana) que assume a liderança das nomeações 2012.

Corrida para melhor filme

No entanto, pela contabilidade, é “A Invenção de Hugo”, de Martin Scorsese, com estreia prevista para 16 de Fevereiro, que recebeu o maior número de nomeações: onze ao total, entre as quais Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado. As restantes oito, contudo, foram-no apenas em categorias técnicas.

Na corrida para melhor filme, para a qual concorrem este ano nove filmes, estão ainda “Moneyball – Jogada de Risco”, de Bennett Miller, e “Cavalo de Guerra”, de Steven Spielberg, ambos com seis nomeações; “Os Descendentes”, de Alexander Payne (cinco nomeações ao todo); “Meia-Noite em Paris”, de Woody Allen, e “As Serviçais”, de Tate Taylor (quatro nomeações); “A Árvore da Vida”, de Terrence Malick (três nomeações), e “Extremamente Alto, Incrivelmente Perto”, de Stephen Daldry (duas nomeações).

As nomeações para os prémios de melhor actor e melhor actriz confirmaram igualmente as expectativas. Meryl Streep parte à cabeça do pelotão da categoria feminina pelo seu retrato de Margaret Thatcher em “A Dama de Ferro”, concorrendo com Glenn Close (“Albert Nobbs”), Michelle Williams (“A Minha Semana com Marilyn”), Viola Davis (“As Serviçais”) e, na única surpresa da categoria, Rooney Mara (“Millennium 1 – Os Homens que Odeiam as Mulheres”).

George Clooney é por seu lado um dos favoritos por “Os Descendentes”, embora tenha aqui que se bater com Jean Dujardin em “O Artista”. A categoria completa-se com três candidatos-surpresa: Brad Pitt por “Moneyball – Jogada de Risco”, Gary Oldman por “A Toupeira” e Demian Bichir por “A Better Life”.

Há também surpresas nas categorias secundárias. “As Serviçais” recebe duas nomeações na categoria de actriz secundária – para Jessica Chastain e Octavia Spencer – e Melissa McCarthy é nomeada pela comédia “A Melhor Despedida de Solteira”. As duas outras nomeadas são-no por papéis tecnicamente principais: Bérénice Béjo, por “O Artista”, e Janet McTeer, em “Albert Nobbs”.

Na categoria de actor secundário, alinham Kenneth Branagh (“A Minha Semana com Marilyn”), Jonah Hill (“Moneyball – Jogada de Risco”), Nick Nolte (“Warrior – Combate entre Irmãos”), Christopher Plummer (“Assim É o Amor”) e Max von Sydow (“Extremamente Alto, Incrivelmente Perto”).

Lê o artigo completo no PÚBLICO