Portugueses retiram quatro mil milhões dos certificados de aforro em 2011

Foto
Investidores aplicaram apenas 28 milhões de euros em certificados de aforrro em Dezembro Daniel Roland/AFP

O montante de resgates em 2011 ficou bem acima dos 1400 mil milhões de euros resgatados em 2010. A baixa rentabilidade oferecida pelos CA, particularmente no caso das últimas séries, face a outros produtos financeiros, como os depósitos bancários, justificam boa parte dos resgates.

Em Dezembro de 2011, o saldo líquido foi negativo em 266 milhões de euros. No último mês do ano, as novas subscrições de CA ascenderam a 28 milhões de euros e os resgates a 294 milhões de euros.

Nos Certificados do Tesouro (CT), as subscrições em Dezembro estão acima dos resgates, mas o novo produto financeiro associado à Dívida pública esteve longe de conseguir atrair os montantes previstos pelo Governo. No último mês do ano, foram aplicados 41 milhões de euros e resgatados 26 milhões.No saldo anual, foram aplicados nos CT 618 milhões de euros, quando o Governo admitia que atingisse os 742 milhões de euros

Em cerca de um ano e meio de existência dos CT, o saldo acumulado é de 1308 milhões de euros. O novo produto financeiro oferece uma taxa de rentabilidade bem mais elevada que os CA. No entanto, a crise da dívida soberana na Europa aumentou o risco do produto gerido pelo Estado.