Empresas

Unicer fecha produção de cerveja em Santarém e centraliza fabrico em Leça do Balio

Santarém perde a produção de cerveja
Foto
Santarém perde a produção de cerveja Foto: Paulo Pimenta

Trabalhadores receberam hoje a notícia depois de reuniões com a direcção da empresa nortenha, que vai consolidar a operação industrial até Março de 2013.

A Unicer vai encerrar até Março de 2013 a unidade de produção de cervejas em Santarém e concentrar o fabrico em Leça do Bailio. De acorco com o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabaco (SINTAB), a decisão afecta 133 trabalhadores de Santarém.

A intenção da empresa nortenha é tentar reintegrar 60 pessoas noutras funções. “Haverá a possibilidade de deslocação para outros Centros de Produção. A Unicer estima poder disponibilizar cerca de 60 lugares e considerará todas as candidaturas que surgirem neste sentido”, refere a empresa, em comunicado. Os restantes 53 terão um programa de apoio que inclui uma indemnização superior à que está definida por lei, formação e outplacemente, para ajudar na busca de um novo emprego.

Ao que o PÚBLICO apurou, quadros da empresa, dirigentes sindicais e a comissão de trabalhadores estiveram hoje reunidos, quer no Porto, quer em Santarém.

Fernando Guerra, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabaco (SINTAB), diz que a notícia foi recebida com surpresa pelos trabalhadores. “Ninguém estava à espera”, admitiu.O sindicato vai “tentar defender todos os postos de trabalho” e, por isso, pretende agendar reuniões com os grupos parlamentares e Ministério da Economia.

Em comunicado, a Unicer, que detém a Super Bock, esclareceu que vai iniciar um “processo de consolidação da sua operação industrial no negócio das cervejas no Centro de Produção de Leça do Balio”. Em causa está um investimento global de 80 milhões de euros para expansão e modernização da fábrica-mãe, que passará a ter mais duas novas linhas de enchimento e maior capacidade instalada.

Santarém perde, assim, a produção de cerveja “mas mantém as plataformas de armazenagem e de distribuição”, bem como a operação nos refrigerantes.

A decisão vai permitir dar mais fôlego à Unicer nas exportações, negócio cada vez mais necessário “à sua sustentabilidade”. “A decisão tomada pela Unicer, apesar de difícil, é indispensável para a eficiência e competitividade da empresa e, por consequência, para a manutenção de mais de 1400 postos de trabalho directos, num sector de actividade cujo efeito indirecto na empregabilidade nacional ultrapassa os 70 mil trabalhadores”, defende a empresa.

Em Outubro de 2007, a Unicer também encerrou as portas da fábrica que detinha em Loulé há mais de 30 anos e onde fabricava a cerveja Cristal. Na altura, a empresa dispensou 60 funcionários porque a unidade tinha uma produção reduzida (40 milhões de litros), conseguindo poupar quatro milhões de euros em custos por ano.

Notícia actualizada e corrigida às 20h05

Acrescenta Março de 2013 e especifica que, em vez de 113 trabalhadores afectados, são 133, de acordo com o Sindicato das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabaco