Hot Clube de Portugal reabre as portas ao jazz

De volta à Praça da Alegria, em Lisboa, mas algumas portas abaixo da sua localização original, o Hot Clube de Portugal está de regresso com três dias de espectáculos gratuitos

Fotogaleria
As antigas instalações do Hot Clube de Portugal Enric Vives-Rubio
Fotogaleria
As antigas instalações do Hot Clube de Portugal Enric Vives-Rubio
Fotogaleria
As antigas instalações do Hot Clube de Portugal Enric Vives-Rubio
Fotogaleria
As antigas instalações do Hot Clube de Portugal Enric Vives-Rubio

Dois anos depois de ter sido destruído num incêndio, o novo Hot Clube de Portugal, que se orgulha de ser um dos mais antigos clubes de jazz do mundo, é esta quarta-feira (21 de Dezembro) inaugurado.

De volta à Praça da Alegria, em Lisboa, mas algumas portas abaixo da sua localização original, o Hot Clube de Portugal está de regresso com três dias de espectáculos gratuitos.

Apesar de as obras ainda não estarem totalmente terminadas e faltar também uma parte da mobília, o antigo clube de jazz da Praça da Alegria, que em 2008 comemorou 60 anos de existência, está pronto para voltar à sua rotina habitual, com uma actuação, às 22h, do grupo original do Hot Clube, composto por Justiniano Canelhas, Bernardo Moreira e Manuel Jorge Veloso, e que vai contar com a presença de alguns convidados.

Logo depois sobe ao palco o septeto Hot Clube de Portugal, do qual fazem parte os músicos Bruno Santos, João Moreira, Pedro Moreira, Luís Cunha, Rodrigo Gonçalves, Bernardo Moreira e André Sousa Machado.

Na quinta-feira, a celebração continua com um concerto a cargo da Big Band, dirigida pelo trombonista Luís Cunha, que apresentará na primeira parte um reportório de Duke Ellington, enquanto a segunda parte é dedicada aos compositores portugueses.

Os três dias de festa encerram na sexta-feira com um concerto dos alunos do Hot Clube de Portugal – desde os anos 1980 que este clube tem também a funcionar uma escola de música de jazz, actualmente situada em Alcântara.

Lê o artigo completo no PÚBLICO