E ao segundo dia, leilão de licenças para quarta geração móvel fica-se por três operadores e 372 milhões de euros

Foto
LTE permite velocidades rápidas

O segundo dia de leilão para aquisição de licenças da quarta geração móvel (LTE) manteve-se nos 372 milhões de euros - o mesmo valor alcançando no primeiro dia de licitações, que começaram na passada segunda-feira. Vodafone foi a que gastou mais dinheiro (146 milhões), repartindo o restante valor, em partes iguais, pela Tmn e Optimus. Todos pagaram o preço mínimo definido.

Este leilão, que está a ser gerido pela Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom), tinha um encaixe esperado de 429 milhões de euros, se todos os lotes fossem licitados pelo preço mínimo, mas acabou por ficar abaixo das previsões, o que frustrou as expectativas do Governo em relação a estas receitas extraordinárias. Nem tudo o que estava a leilão suscitou interesse dos operadores, pelo que o valor final se ficou pelos 372 milhões de euros, de acordo com dados divulgados ontem pelo regulador.

A Vodafone foi a empresa que mais gastou, num total de 146 milhões de euros. Em comunicado, a operadora informou que "obteve um total de 123 Mhz nas faixas de frequência dos 800, 900, 1800 e 2600 Mhz e acrescentou que esta aquisição "permitirá (...) aumentar ainda mais a cobertura e a qualidade de serviço".

A compra da faixa de 900 Mhz poderá estar relacionada com um processo relativo às licenças móveis de terceira geração, o UMTS, que gerou, inclusivamente, multas por parte da Anacom por incumprimento dos pressupostos do concurso. Foi, aliás, esta aquisição, que diferenciou o investimento dos operadores, já que tanto a Optimus (que faz parte do grupo Sonaecom - dono do PÚBLICO), como a Tmn, detida pela PT, investiram ambas 113 milhões de euros.

No caso da Optimus, foi adquirido 10 Mhz de espectro na banda de 800 Mhz e 20 Mhz em cada uma das bandas de 1800 e 2600, informou a empresa em comunicado. A investida permitirá "assegurar melhor cobertura em zonas de menor densidade populacional" e, por outro lado, "assegurar uma elevada capacidade de rede a melhor performance em zonas urbanas", acrescentou. Já a Tmn ficou com 20 Mhz na faixa de frequências de 800 Mhz, 24 Mhz na de 1800 e 40 Mhz na de 2600.

A quarta geração móvel, tecnicamente designada por Long Term Evolution (LTE), permite velocidades ultra-rápidas de Internet nos dispositivos móveis. Esperava-se que este leilão, que também faz parte das exigências inscritas no Memorando de Entendimento assinado com a troika, fosse a porta de entrada de um quarto operador, mas também esta expectativa ficou por concretizar.

A Zon chegou a informar que estava em condições para entrar na corrida, mas acabou por desistir na véspera das licitações começarem. Este ano, o regulamento foi sofrendo alterações e o próprio leilão teve diferentes calendários. Primeiro, estava marcado para Junho, tendo sido adiado para o terceiro trimestre. Ontem fechou-se o processo.