Reunião esta tarde

Governo chama banca e sindicatos para discutir fundos de pensões dos bancos

Reunião foi marcada para o Ministério das Finanças
Foto
Reunião foi marcada para o Ministério das Finanças Sara Matos/Arquivo

Os representantes dos sindicatos e da banca foram chamados pelo Ministério das Finanças para discutir esta tarde com as autoridades questões relacionadas com a transferência dos fundos de pensões da banca para o sistema público de Segurança Social.

Em causa está uma operação, de carácter extraordinário, que envolve as responsabilidades da banca associadas aos reformados bancários e que totalizarão cerca de seis mil milhões de euros.

O encontro, agendado para o início desta tarde, entre o Governo, os sindicatos e a Associação Portuguesa de Bancos foi convocada ontem, apurou o PÚBLICO junto de fonte ligada ao processo, e ocorre horas depois de o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, ter anunciado na Assembleia da República que tinha chegado a acordo com as partes interessadas.

Esta medida é indispensável para permitir ao Governo colocar o défice público no valor acordado com a troika: 5,9%. Uma solução que esteve a ser negociada nos últimos meses e que dividiu os bancos e o Governo.

Vítor Gaspar explicou hoje no Parlamento que “o encaixe vai permitir o pagamento de dívidas das administrações públicas, contribuindo assim para o processo de diminuição do rácio de transformação dos bancos portugueses e o financiamento da economia”.

Notou ainda que o acordo foi celebrado com base “num espírito de diálogo com os bancos e sindicatos, acautelando os direitos dos pensionistas. Os direitos das três partes, Estado, bancos e pensionistas, estão garantidos”.

Para o ministro trata-se de uma transferência “equilibrada” do ponto de vista técnico e protege “os interesses dos contribuintes”.

Sugerir correcção