Futebol

PSP recebeu denúncia de jornalista por agressões e injúrias no Dragão

Pinto da Costa é acusado de insultar Valdemar Duarte, jornalista da TVI
Foto
Pinto da Costa é acusado de insultar Valdemar Duarte, jornalista da TVI Foto: Adriano Miranda

O elemento da Polícia de Segurança Pública (PSP) em serviço no Estádio do Dragão durante do FC Porto-Sp. Braga recebeu uma participação de um jornalista da TVI a dar conta de agressões e injúrias.

Valdemar Duarte, que esteve a fazer a narração da partida para a TVI, queixou-se no final da partida de “actos contra a sua integridade física e injúrias”.

De acordo com uma notícia publicada pelo portal “Maisfutebol”, a situação ocorreu numa zona do Estádio do Dragão vedada ao público. Valdemar Duarte terá sido confrontado por Pinto da Costa depois de descer da tribuna de imprensa.

“Nessa altura, o presidente do portista, rodeado por elementos do clube, insultou o jornalista. Um pouco depois, uma das pessoas que acompanhavam Pinto da Costa agrediu Valdemar Duarte”, conta o “Maisfutebol”, acrescentando que mais tarde os seguranças do recinto “ameaçaram fisicamente” o jornalista e pressionaram-no para que abandonasse “de imediato” as instalações.

Fonte da PSP disse ao PÚBLICO que foi feita uma participação policial “contra alguns indivíduos" que se encontravam no Estádio do Dragão. Sem confirmar o nome em causa, a mesma fonte esclareceu que, de acordo com a lei, o jornalista “tem seis meses para poder apresentar queixa-crime”.

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) repudiou “veementemente” a agressão de que foi vítima o jornalista da TVI. “De acordo com as informações que o SJ possui, o nosso camarada foi insultado pelo presidente do clube quando se encontrava a descer da tribuna de imprensa e dirigindo-se à sala de imprensa do Estádio do Dragão”, pode ler-se no comunicado.

“Posteriormente, o mesmo jornalista foi agredido por um elemento que acompanhava Pinto da Costa e foi ameaçado fisicamente por elementos da equipa de segurança privada de serviço ao Estádio do Dragão durante o jogo entre FC Porto e Sporting de Braga”, acrescenta o SJ, manifestando solidariedade com Valdemar Duarte e considerando “absolutamente inaceitável o comportamento do presidente do FC Porto, bem como dos elementos próximos deste dirigente desportivo ou da empresa de segurança privada”.

O SJ apela ainda aos jornalistas e outras pessoas que testemunharam os acontecimentos “para que se disponibilizem a depor no inquérito judicial que necessariamente terá de ser aberto”. O sindicato irá também apresentar uma apreciação da queixa à Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

TVI condena incidentes

Já ao final da tarde, a TVI reagiu igualmente ao incidente envolvendo o seu jornalista.

"A Direcção de Informação da TVI repudia os incidentes registados no Estádio do Dragão, no final do jogo de ontem, 27 de Novembro, entre o Futebol Clube do Porto e o Sporting de Braga.Já depois de concluído o seu trabalho, o jornalista e narrador da transmissão para a TVI, Valdemar Duarte, acompanhado do comentador Manuel Queirós, foi interpelado e agredido, numa zona de acesso à sala de imprensa, por um grupo de dirigentes e funcionários do clube e onde se encontravam, entre outros, os senhores Jorge Nuno Pinto da Costa, Joaquim Pinheiro, Rui Carvalho e Fernando Brandão.
O jornalista da TVI foi insultado e agredido."

"Poucos minutos depois, noutro ponto das instalações, um grupo de seguranças envergando os coletes de 'stewards' rodearam o mesmo jornalista e repetiram-se os insultos e agressões, de que resultaram diversas evidências físicas, clinicamente demonstráveis e entretanto já documentadas. Os incidentes foram testemunhados por terceiros e de imediato reportados às autoridades policiais em serviço no local.O caso está a ser acompanhado na sua envolvente jurídico-criminal tendo sido, nesta data, efectuada uma participação formal às autoridades."

"A Direcção de Informação desconhece a motivação destes incidentes, sendo certo que o comportamento do seu jornalista não se mostra susceptível de reparo ou crítica, segundo testemunhas dos incidentes. O insulto e a agressão física, envoltos num ambiente de intimidação, não podem ser aceites como legítimos na sociedade portuguesa de hoje. Muito menos ainda no âmbito do desporto, pelas suas implicações e pelos valores que lhe são próprios."

Contactado pelo PÚBLICO, o FC Porto declinou fazer comentários sobre o caso.

Notícia actualizada às 19h36