Fotogaleria
Precisamos de muitos mais técnicos”, diz Armando Guebuza, presidente de Moçambique Carlos Lopes/Arquivo
Fotogaleria
Mercado de trabalho moçambicano “tem uma enorme carência de quadros” para explorar recursos naturais Amílcar Correia

Moçambique precisa de profissionais e oferece oportunidades de negócios

Presidente moçambicano, Armando Guebuza, em visita a Portugal, diz que o país precisa de profissionais qualificados para trabalharem nas explorações de carvão e gás natural

O presidente de Moçambique, Armando Guebuza, disse neste domingo em Lisboa que o país precisa de profissionais para trabalharem nas explorações de carvão e gás natural e que oferece oportunidades de negócio em várias áreas.

O presidente Guebuza está em Lisboa para participar na primeira Cimeira Luso-Moçambicana, prevista para os dias 28 e 29 de Novembro, durante a qual será reforçada a relação entre os dois países.

Num evento, junto da comunidade moçambicana, o chefe de Estado destacou a calorosa saudação com que foi recebido pelas cerca de 500 pessoas (de uma comunidade total de 3600 a viver em Portugal) presentes num hotel em Lisboa para o ouvirem.

Descobertas de recursos naturais

“Parece que estou de novo em Moçambique”, referiu o Presidente, num evento animado por música e dança tradicional e em que foi entoado o hino do país. O discurso centrou-se depois na economia moçambicana e sobretudo nas “descobertas recentes de recursos naturais”, com destaque para o gás natural e o carvão.

“Um dos grandes desafios que estas descobertas nos colocam tem a ver com a disponibilidade de técnicos moçambicanos para trabalhar nestes empreendimentos. As nossas instituições de ensino superior estão a fazer essa formação mas os números não correspondem à procura. Precisamos de muitos mais técnicos”, afirmou o chefe de Estado.

Já nesta semana, o presidente da Câmara de Comércio Portugal-Moçambique defendeu, em declarações à Lusa, que Maputo deveria alterar a legislação laboral para facilitar a entrada de trabalhadores portugueses qualificados no mercado de trabalho moçambicano porque o país “tem uma enorme carência de quadros”.

Ainda no seu discurso, o presidente Guebuza apelou aos empresários Moçambicanos para olharem para este “nicho de oportunidade” porque há ainda “falta de fornecimento bens e serviços para essas empresas”.

Lê o artigo completo no PÚBLICO