Liga

Lima estragou o regresso completo à normalidade

Hulk marcou dois golos
Foto
Hulk marcou dois golos Miguel Vidal/Reuters

Ninguém saiu totalmente satisfeito do Estádio do Dragão neste domingo. O FC Porto vencia por 3-0 a dois minutos do fim do tempo regulamentar e parecia de regresso à normalidade. Debalde, em dois minutos sofreu dois golos do brasileiro Lima.

O Sp. Braga, por outro lado, conseguiu, num ápice, compor o resultado e torná-lo menos desconfortável, mas nem isso apaga a sua exibição demasiado irregular e em que a melhor defesa até então (agora é o Beira-Mar) correu riscos de sair goleada. Os portistas somaram o 50.º jogo sem derrotas no campeonato.

O FC Porto insistiu no desenho e nos protagonistas que lhe tinham garantido a vitória tranquilizadora na Ucrânia. Vítor Pereira quis ser justo com quem o ajudou num momento difícil e manteve Maicon no lado direito da defesa (algo difícil de justificar, atendendo a que Fucile já está disponível, tal como Sapunaru, que nem foi convocado), voltando ainda a apostar em Djalma para uma das alas. Isso significou que Hulk se manteve no meio do ataque. De resto, manteve-se também a inversão do triângulo a meio-campo, com João Moutinho na mesma linha de Fernando e Defour colocado alguns metros à frente e numa zona mais central.

Apesar do domínio inicial, o FC Porto começou por denotar grandes dificuldades na sua organização ofensiva. Por demérito próprio, mas principalmente em resultado da boa prestação defensiva de um Braga que surpreendeu com as apostas em Mérida e Paulo César em detrimento de Mossoró e Hélder Barbosa. Nesse período, as jogadas mais perigosas até pertenceram aos bracarenses.

O FC Porto só criou verdadeiro perigo ao minuto 26, com Quim a resolver um remate de Hulk. Mas o brasileiro marcou mesmo 11 minutos depois, após um desequilíbrio criado por Defour e um cruzamento de James. A partir daí, o jogo ficou diferente e o FC Porto melhorou claramente a qualidade da sua exibição.

Hulk e Rolando podiam ter elevado a contagem antes do intervalo, mas Quim respondeu com boas defesas. Já depois das entradas de Cristián Rodríguez e de Souza (os adeptos assobiaram a saída de Defour), o guarda-redes bracarense continuou a ser determinante em várias situações. A perder, Leonardo Jardim foi lançando reforços, acabando por correr maiores riscos, quando investiu na entrada de Nuno Gomes. A equipa ficou descompensada defensivamente e Hulk aproveitou para voltar a marcar com um remate que já é a sua imagem de marca. Teve ainda outro golo mal anulado, porque Cristián Rodríguez não estava fora de jogo, mas acabaria por arrancar a jogada magistral que permitiu ao recém-entrado Kléber fazer o 3-0.

Nos dois minutos em falta, Lima comprovou a apetência para marcar golos no Dragão. O primeiro surgiu de penálti, a punir carga de Hulk sobre Salino. Depois, aproveitou um cruzamento para rematar certeiro com o pé esquerdo. Ninguém se ficou a rir.

POSITIVO
Hulk

A grande figura da noite foi Hulk. Marcou dois golos (e teve outro mal anulado) e inventou a jogada do terceiro, tendo ainda feito um penálti. Um jogo em cheio e quase sempre em crescendo do brasileiro, que até começou por perder a bola na maioria das acções em que tentou desequilibrar o adversário.


Quim

Sofreu três golos, mas evitou vários outros. Fez, pelo menos, duas defesas monumentais.


NEGATIVODefesas

Frente a frente estavam (agora é o Beira-Mar) as duas melhores defesas da Liga, mas nenhuma delas fez jus ao estatuto. No FC Porto mantêm-se algumas opções discutíveis (Maicon a lateral) e falta Mangala. No Sp. Braga, houve principalmente mérito de Hulk.


Ficha de jogo

FC Porto 3Sporting de Braga 2

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.Assistência 38.512 espectadores.

FC Porto

Helton, Maicon, Rolando, Otamendi, Alvaro Pereira, Fernando, João Moutinho, Defour (Souza, 64’), Hulk, James (Kléber, 80’) e Djalma (Cristian Rodriguez, 64’). Treinador Vítor Pereira

Sp. Braga

Quim, Salino, Douglão, Ewerton, Paulo Vinícius, Djamal (Nuno Gomes, 76’), Hugo Viana, Paulo César (Hélder Barbosa, 70’), Alan, Lima e Mérida (Mossoró, 60’). Treinador Leonardo JardimÁrbitro Artur Soares Dias, do Porto. Amarelo Álvaro Pereira (11’), Maicon (55’), Salino (74’) e Hulk (88’).


Golos

1-0, por Hulk, aos 37’;


2-0, por Hulk, aos 78’; 



3-0, por Kléber, aos 82’;


3-1, por Lima, aos 89 (g.p.); 



3-2, por Lima, aos 90+2.


Notícia actualizada às 22h24