Crise da dívida

Agência chinesa também desceu a notação de Portugal para “lixo”

A agência de notação financeira chinesa Dagong baixou hoje o rating da dívida soberana de Portugal de BBB+ para BB+, com perspectiva negativa “devido à deterioração da situação económica e fiscal do país”, revelou a empresa em comunicado.

A agência, que na ontem tinha colocado a Grécia no pior nível da sua escala (CCC), prevê que o Produto Interno Bruto de Portugal desça 1,7 por cento em 2011 e 3,5 por cento em 2012.

“A economia portuguesa não pode voltar a um crescimento positivo a médio prazo, a menos que se assumam reformas fundamentais no sistema económico do país e nas suas estruturas”, assinalou a agência, utilizando terminologia semelhante à de quarta-feira para analisar a situação grega.

A Dagond ficou conhecida internacionalmente em Agosto quando baixou a nota da dívida norte-americana de A+ para A “com perspectivas negativas” depois de o Governo norte-americano anunciar um acordo para aumentar o tecto da sua dívida.

A agência foi fundada em 1994, mas não tinha qualquer relevância nos meios de comunicação chineses até este ano, em que a crise da dívida soberana na União Europeia e nos Estados Unidos aumentaram as expectativas de que a segunda economia mundial adquira mais títulos de dívida dos mercados ocidentais.

A China, que tem a maior reserva de divisas em todo o mundo, é o maior detentor de dívida norte-americana com títulos no valor de 1,15 biliões de dólares e prometeu este ano aumentar a compra da dívida de países europeus, incluindo a Grécia, Portugal ou Espanha, mas nunca publicou dados concretos relativos a essas operações.

A Dagong tem um sistema de classificação idêntico ao das agências de rating mais conhecidas como as norte-americanas Moody’s, Standard & Poors e Fitch, onde a melhor nota é AAA, Seguida de AA e A, e a C a pior nota.

Sobre a própria dívida chinesa, a Dagong outorga uma classificação de AA+, ou seja a segunda melhor nota possível