Taça de Portugal

FC Porto confirma mau momento e sai destroçado de Coimbra

Adrien marcou o segundo golo da Académica
Foto
Adrien marcou o segundo golo da Académica dr

O actual detentor da Taça de Portugal caiu na quarta eliminatória, aos pés de uma Académica que soube tirar partida da fase negativa dos “dragões”. A equipa de Pedro Emanuel derrotou (3-0) os “dragões”.

O FC Porto confirmou em Coimbra que é uma equipa sem rumo. Sem ideias. Perdeu tudo o que se viu na época passada. Está desfeita. Como resultado, foi eliminada da Taça de Portugal, em Coimbra, frente a uma Académica que venceu por 3-0. A equipa da casa aproveitou o mau momento e conseguiu ganhar aos “dragões”, algo que não acontecia há cerca de quatro décadas.

A equipa de Vítor Pereira manteve a linha de exibições sofríveis. Sempre lenta, demasiado lenta. Um ritmo que nem o facto de James se encontrar no banco, provavelmente a pensar na deslocação ao terreno do Shakhtar Donetsk, conseguiu justificar.

Nada daquilo que o treinador tinha prometido aconteceu. Queria bola e qualidade na sua posse. Falhou em toda a linha. Tudo correu mal. Maicon adaptado a lateral direito nunca teve velocidade, nem conseguiu subir. Na esquerda, Álvaro Pereira tinha demasiadas preocupações para segurar Sissoko ou Marinho e também não foi por esse lado que os portistas conseguiram criar perigo. No miolo, Belluschi e João Moutinho mostraram uma enorme falta de ideias. Tudo somado, o FC Porto foi durante a primeira parte uma equipa triste, sem criatividade.

Era como se esta deslocação a Coimbra fosse uma penosa tarefa agendada, impossível de evitar. Dificilmente na memória portista existirá um jogo em que a equipa tivesse passado toda uma primeira parte sem realizar um remate digno desse nome ou, pior, uma jogada com cabeça, tronco e membros.

Neste período, a Académica não esteve muito melhor, mas foi controlando as operações. Foi mais consistente, com melhor circulação de bola - destaque para Habib, Diogo Melo e sobretudo Adrien. O médio cedido pelo Sporting, então, conseguiu mesmo distinguir-se pela positiva em duas tarefas. Foi sempre o primeiro homem a travar o início de construção do futebol portista, mas também o principal municiador do tridente atacante constituído por Marinho, Ederzito e Sissoko. Em bom rigor, porém, os lances ofensivos dignos de registo da equipa da casa praticamente também não existiram.

O segundo tempo chegou a dar a ideia de que o FC Porto vinha com outra dinâmica. Construiu o primeiro lance com muito perigo aos 51’, num remate de Fernando junto ao poste, ao qual Ricardo respondeu bem. Seguiu-se uma tentativa de Maicon. Mas este é um FC Porto sem pés nem cabeça. E foi a Académica a sobressair.

Primeiro num lance em que valeu um excelente corte de Álvaro Pereira, quando Ederzito seguia isolado já dentro da área. Depois, aos 65’, quando Rolando cortou de forma defeituosa e deixou Sissoko isolado, para cruzar rasteiro para o golo de Marinho.

Vítor Pereira, que já tinha lançado James, apostou depois em Defour e Kléber, em detrimento de Moutinho e Varela. Mas o problema não é individual. É colectivo. E Adrien, aos 81’, acabou com o jogo, ao marcar o segundo golo, mais uma vez depois de uma perda de bola e de uma inércia incrível da defesa portista. Mas o pesadelo do actual detentor da Taça não acabou aí: Diogo Valente, aos 89’, fechou o resultado depois de um disparate de Fernando, enquanto a claque “azul e branca” pedia em alta voz a demissão de Vítor Pereira.

Positivo
Adrien

O jovem médio foi um dos melhores elementos em campo, juntamente com os seus colegas de sector. Merece destaque porque marcou um golo e porque esteve simplesmente notável no entendimento com Diogo Melo e Habib. Um trio que vulgarizou o meio-campo do actual campeão nacional.


Sissoko

Um jogador a ter em conta. Rápido, com técnica, o jovem (19 anos) futebolista da Costa do Marfim é um dos trunfos de Pedro Emanuel.


João Real

Esteve simplesmente impecável a defender.


Negativo
FC Porto

É uma equipa sem norte. Um conjunto de jogadores sem solidariedade, incapazes de mostrarem um pouco da chama que se viu na época passada. Quase não criou oportunidades de golo, a não ser para o adversário. Não tem velocidade, ideias. Não tem nada.


Ficha de jogo

Académica 3FC Porto 0

Jogo no Estádio Cidade de Coimbra.

Académica

Ricardo; João Dias, Berger, Real, Hélder Cabral; Habib, Diogo Melo (Júlio César, 77’), Adrien; Marinho (Diogo Valente, 73’), Ederzito (Fábio Luís, 90’) e Sissoko.


Treinador

Pedro Emanuel

FC Porto

Bracalli; Maicon, Rolando, Otamendi, Álvaro Pereira; Fernando, João Moutinho (Defour, 67’), Belluschi (James, 89’); Hulk, Varela (Kléber, 67’) e Valter.


Treinador

Vítor Pereira

Árbitro Bruno Paixão, de Setúbal.
Amarelos Otamendi (56’), belluschi (56’), Rolando (61’), Hulk (83’), Ricardo (90’)

Golos

1-0, por Marinho, aos 65’;


2-0, por Adrien, aos 82’;


3-0, por Diogo Valente, aos 89’.


Notícia actualizada às 23h01
Sugerir correcção