Subida de Milão destacava-se em dia de bolsas em alta

Foto
Paolo Bona/ Reuters (arquivo)

Os mercados de capitais pareciam reagir assim positivamente à nomeação para primeiro-ministro de Mário Monti, um credenciado tecnocrata europeu.

A Bolsa de Lisboa abriu hoje terreno positivo, com o seu principal índice a valorizar 0,62 por cento para os 5.617,44 pontos, mas pouco depois das 8h30 inverteu a tendência.

A essa hora, tinha 10 acções a desvalorizar, com a Sonae Indústria (do grupo proprietário do PÚBLICO) a apresentar a maior queda, de 3,33%. Seguiam-se a Altri, a descer 2,24%, e o Banco BPI (-1,20%), o único título da banca com a cotação em baixa.

Entre as oito acções que então estavam a subir, eram justamente as dos restantes três bancos portugueses cotados que estavam no topo: Banif (+3,28%), Millennium (+1,94%) e BES (+1,63%).

Na sexta-feira, a bolsa de Lisboa encerrou a cair 1,13 por cento, para 5582,63 pontos, em contraciclo com a Europa, e com a Galp a perder quase 11 por cento.

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de hoje com o índice Nikkei a subir 1,05%, e na Europa a tendência geral era de valorização, com o Euronext 100 a subir 0,18%.

As bolsas de Frankfurt, Paris e Londres começaram as sessões com valorizações de respectivamente 9,66%, 0,64% e 0,28% dos seus principais índices.