Cerca de 300 pessoas assinalaram os 30 anos da extinção do Movimento Esquerda Socialista

Jorge Sampaio foi um dos presentes no encontro
Foto
Jorge Sampaio foi um dos presentes no encontro

Cerca de 300 pessoas marcaram neste sábado presença no almoço que assinalou os 30 anos da extinção do Movimento Esquerda Socialista (MES), num encontro em que marcaram presença nomes como Jorge Sampaio ou Ferro Rodrigues.

O antigo secretário-geral socialista Eduardo Ferro Rodrigues, um dos fundadores do MES, afirmou à Lusa que este foi um “almoço de velhos amigos e conhecidos”, sem objectivos políticos.

“É sempre bom encontrar pessoas das várias gerações e cisões do MES, num almoço que não tem objectivos políticos, apenas de confraternização. É um momento de emoção pois encontramos pessoas que não víamos há muito tempo e é sempre bom encontrarmo-nos com alegria, apesar de todas as dificuldades”, disse em declarações à Lusa.

Ferro Rodrigues recusou fazer comentários sobre a actual situação do país e referiu que apenas se vai pronunciar sobre o Orçamento do Estado, que foi aprovado na generalidade com a abstenção do PS, depois da sua aprovação global.

O antigo Presidente da República Jorge Sampaio também marcou presença no almoço, mas recusou prestar declarações à imprensa, afirmando que vinha apenas a um “encontro de amigos”.

Eduardo Graça, um dos promotores da iniciativa, destacou a presença de Jorge Sampaio, referindo que esta é a primeira vez em que estão reunidos todos os que subscreveram a moção do primeiro congresso do MES, em 1974, que acabou chumbada.

“Penso que é a primeira vez que estão reunidos todos os subscritores da moção apresentada no primeiro congresso, com excepção de Armando Trigo Abreu, que foi chumbada pela maioria e que originou a saída do chamado grupo de Jorge Sampaio”, explicou.

Entre os presentes hoje na Costa da Caparica estiveram também Alberto Martins, Vieira da Silva e João Cravinho, antigos ministros de governos socialistas, bem como o embaixador de Portugal em Paris, Francisco Seixas da Costa.

“É uma comemoração geracional, de pessoas que a partir de certa altura tiveram percursos diferentes de vida e mesmo dentro da política. Fizemos este jantar há 30 anos, quando o MES acabou, e venho de Paris de propósito para este almoço, onde não existem discursos, apenas abraços”, disse Francisco Seixas da Costa.

O MES, que nasceu em 1974, logo a sair à Revolução dos Cravos, integrou sindicalistas, líderes e membros do associativismo académico e diversos intelectuais que tinham sido opositores à ditadura.

A Declaração do Movimento de Esquerda Socialista - M.E.S, que anunciou o partido, foi subscrita por Agostinho Roseta, Augusto Mateus, Jorge Sampaio, José Manuel Galvão Teles, Ferro Rodrigues e Nuno Teotónio Pereira, entre outros.

Jorge Sampaio fez parte, porém, de um conjunto de pessoas que abandonou o grupo logo no congresso fundador.

O movimento concorreu às eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, e para a primeira Assembleia da República, em 1976. Nas primeiras conseguiu 57 695 votos (1% de votos) e, nas segundas, 31.332 votos (0,57%).

Sugerir correcção