DR
Foto
DR

Liliana tem quatro empregos e não sabe de qual gosta mais

É empresária, “copywriter”, cantora e escreve para musicais. Liliana Moreira trabalha doze horas por dia. Mas gosta

O ditado popular diz que “quem canta, seu mal espanta”. Pois bem, Liliana Moreira aplica esse conceito todos os dias na sua profissão. Ou melhor, nas suas quatro profissões. E, com isso, além de espantar qualquer mal, espanta, acima de tudo, a crise económica.

A verdade é que Liliana faz mesmo da sua voz uma ferramenta de trabalho. “Canto, sobretudo nos meses de Verão, num coro profissional”, refere. Estudou música dos cinco aos 25 anos e fez um curso complementar de piano e canto, o que lhe permite, hoje com 33 anos, ter esse emprego. A questão é que Liliana Moreira tem mais três e dedica-se a todos eles com o mesmo prazer.

Aliás, torna-se difícil não ficar contagiado com o entusiasmo com que a jornalista fala sobre a sua vida “multitarefas”. Sim, Liliana também já chegou a exercer como jornalista – é licenciada em Comunicação Social e tem um mestrado em Gestão Cultural. Actualmente, aproveita o “à vontade” na escrita para colaborar com algumas bandas de música na criação de letras, “quase sempre originais”.

PÚBLICO -
Foto
Liliana Moreira DR

Mas não escreve só para isso. Fá-lo também para musicais. Um deles estreará no fim do mês no Teatro Rivoli, no Porto. Portanto, duas profissões: “checked”. Liliana é, ainda, criadora da Caramelo, uma empresa online de produtos personalizados (“revistas ilustradas, peças de mobiliário…”). Já vão três. Por último, “tenho uma outra actividade que exerço em regime ‘freelancer’, que é a criação de conteúdos e ‘copywriting’ para empresas”, como brochuras e catálogos. Quatro.

PÚBLICO -
Foto
Local de trabalho de Liliana, a sua casa, perto de Espinho, onde consegue ser mais produtiva DR

Uma apaixonada pelo(s) trabalho(s)

Liliana Moreira descreve aquilo em que está envolvida actualmente

Como é que Liliana consegue fazer tantas coisas em simultâneo com apenas 24 horas no dia? Trabalhando durante metade desse tempo. “Geralmente acordo muito cedo e faço um horário de trabalho para além do que é normal. Devo trabalhar, talvez, umas 12 horas. Às vezes mais”. De certeza que o “às vezes mais” acontece por altura do Natal e da Páscoa, épocas em que a Caramelo recebe um maior número de encomendas.

Assim que acorda, Liliana define uma estratégia para o dia de trabalho correr bem

Existe, porém, um segredo para Liliana conseguir rentabilizar todo o seu esforço: “Trabalhar em casa permite-me, por exemplo, não perder tempo a deslocar-me de um lado para o outro (…) e usar esse tempo noutros trabalhos”. Ter o “escritório” em casa possibilita à empresária desenvolver com mais facilidade a parte criativa do trabalho, que a obriga a uma maior abstracção. O reverso da medalha fá-la sentir falta de conversar, pelo tempo que passa sozinha.

Consciente do pouco tempo que tem para si, Liliana procura divertir-se em trabalho

Mas não só. “Acho que tenho pouco tempo para mim, confesso”. Tanto trabalho, quase que impede Liliana de ter períodos de lazer, visto que até ao fim-de-semana trabalha. Não fosse o facto de admitir que se diverte a trabalhar, o caso seria preocupante.

“Há trabalhos de que não precisaria [financeiramente], mas como me dão tanto gozo, aceito quase sempre”, afirma. Um sem o qual Liliana não consegue passar é a Caramelo. Não só pelo carinho que tem pelo projecto que criou, mas também porque é aquele que maior rendimento lhe traz.

Sugerir correcção