Relatório do MIT

Emissões de carbono em 2010 foram superiores aos piores cenários

A queima de carvão é uma grande fonte do carbono emitido
Foto
A queima de carvão é uma grande fonte do carbono emitido Tim Wimborne/Reuters (arquivo)

O carbono emitido a nível mundial em 2010 foi superior aos piores cenários que o Painel Internacional das Alterações Climáticas (IPCC, sigla em inglês) fez em 2007, defende a Agência da Energia dos Estados Unidos.

Segundo os dados do relatório, anunciados num notícia da AP publicada pelo jornal The Guardian, em 2010 o mundo emitiu mais 512 milhões de toneladas de carbono para o ar do que em 2009, um aumento de seis por cento.

“Quanto mais falamos sobre a necessidade de controlar as emissões, mais elas crescem”, disse John Reilly, co-director do Programa Conjunto do MIT sobre a Ciência e Política das Alterações Climáticas, citado pelo Guardian.

Os grandes responsáveis pelo aumento de emissões foram os Estados Unidos, a China e a Índia. Os dois últimos países são grandes consumidores de carbono, a queima deste combustível fóssil é a maior fonte a nível mundial de CO2, e representou um aumento de 2009 para 2010 de oito por cento.

“É um grande salto”, disse por sua vez Tom Boden, director do Centro de Análise e Informação do Dióxido de carbono que faz parte do departamento de energia, do Laboratório Nacional de Oak Ridge. “Do ponto de vista das emissões, a crise financeira mundial parece ter terminado.”

Segundo o responsável, os resultados de 2010 são superiores às expectativas do relatório do IPCC publicado em 2007, em relação às emissões de dióxido de carbono.

O mesmo relatório dizia que o aumento de temperaturas no final do século, devido ao efeito de estufa, seria entre 2,4 e 6,4 graus com uma média de quatro graus. Mas John Reilly explica que as estimativas extremas do IPCC correspondiam somente às estimativas médias do MIT.