Papandreou acredita que referendo vai reforçar a Grécia na zona Euro

Papandreou surpreendeu a União Europeia
Foto
Papandreou surpreendeu a União Europeia

O primeiro-ministro grego, Georges Papandreou, afirmou nesta terça-feira que o referendo sobre o plano europeu contra a crise vai “reforçar o país na zona euro e no plano internacional”, na sequência de um contacto telefónico com a chanceler alemã, Angela Merkel.

De acordo com a agência de notícias francesa AFP, com base nos serviços de informação do primeiro-ministro, Angela Merkel “exprimiu a sua compreensão e sublinhou que compreende os desenvolvimentos na Grécia”.

A conversa telefónica decorreu de manhã na sequência do anúncio de Papandreou, na segunda-feira, em avançar com um referendo sobre as medidas impostas pela “troika” à Grécia para resolução da crise e que semeou o pânico nas bolsas europeias e alimentou as críticas dos países parceiros.

Entretanto, o primeiro-ministro grego já anunciou que vai estar presente quarta-feira em Cannes, França, para informar os líderes mundiais na reunião do G20 sobre a sua decisão de realizar o referendo.

Nesse encontro estarão também presentes a chanceler alemã e o presidente francês, Nicolás Sarkozy, para além do presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, e a presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Largarde.

O anúncio do referendo sobre as medidas impostas pela “troika”, feito ao fim da tarde de segunda-feira, lançou a confusão na União Europeia e levou a fortes quedas nas bolsas europeias.

A posição de Georges Papandreou levou também a crise ao interior do seu partido, o Pasok, com uma chuva de críticas a fazerem-se ouvir entre os socialistas e que motivaram mesmo a algumas demissões, nomeadamente de deputados.