Decisão tomada num conselho de segurança mal vista pela oposição

Governo grego muda as chefias militares do Estado-maior

O Governo garante que esta mudança já estava planeada há muito tempo
Foto
O Governo garante que esta mudança já estava planeada há muito tempo Thierry Roge/Reuters

A Grécia anunciou nesta terça-feira uma mudança de todas as chefias militares do Estado-maior, um dia depois do Governo grego ter anunciado um referendo que decidirá se a Grécia aceita ou não o compromisso que fez com a União Europeia provocando uma nova crise económica na Europa.

Um conselho de segurança do Estado, reunido sob a presidência do primeiro-ministro Georges Papandréou, substituiu os quatros responsáveis das forças armadas do país: o chefe do Estado-maior das armadas, os chefes do estado-maior do exército, da marinha e da força aérea.

O conselho afastou ainda das suas funções uma dúzia de oficiais do exército e da marinha, disse o Ministério da Defesa, num comunicado publicado nesta tarde.

Uma fonte do ministério disse à AFP que as reuniões tinham sido programa há bastante tempo, e que não estavam relacionadas com a situação política do país.

O partido da oposição criticou de imediato esta reunião. "Vocês estão acabados, deixem as forças armadas tranquilas", disse Margaritis Tsimas, responsável pelas questões de defesa dentro do partido de direita Nova Democracia. Tsimas acusou esta substituição de ser "anti-democrática".

Os outros partidos também olharam com desconfiança para esta medida governamental. "Isto reforça um clima de incerteza e de inquietação na opinião pública", disse a esquerda democrática.