País está sob pressão da UE

Itália paga juros recorde por emissão de obrigações a médio e longo prazo

Silvio Berlusconi, primeiro-ministro italiano
Foto
Silvio Berlusconi, primeiro-ministro italiano REUTERS/Alessandro Garofalo

A Itália voltou hoje a pagar juros recorde pela emissão de 7,935 mil milhões de euros em obrigações de médio e longo prazo, apesar do acordo alcançado na zona euro na passada quarta-feira.

Numa emissão considerada como teste à confiança dos mercados em relação a Itália, a taxa de títulos do tesouro com maturidade em 2022 ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 6 por cento, alcançando os 6,06 por cento, contra 5,86 pagos em 29 de Setembro numa operação semelhante, anunciou o Banco de Itália, noticia a Lusa.

As taxas dos títulos com maturidades em 2014 também subiram para 4,93 por cento, contra 4,68 na emissão anterior.

O Tesouro italiano emitiu ainda títulos com maturidades em 2017 e 2019, ficando aquém dos objectivos de financiamento, fixados em 5,25 e 8,5 mil milhões de euros. A procura total dos investidores ascendeu a 11,35 mil milhões.

A Itália, que é hoje a terceira maior economia europeia, tem estado sob pressão dos parceiros da zona euro, uma vez que, à semelhança de Espanha, existe o risco de ser contagiada pela crise da dívida soberana.

Esta semana, o primeiro-ministro foi obrigado a convocar um Conselho de Ministros extraordinários, depois de ter sido pressionado a aplicar reformas económicas mais profundas para combater o défice e o endividamento público do país. Nessa reunião, ficou decidido um aumento da idade da reforma para os 67 anos.