Empresa sueca vendida por 100 milhões de euros

Saab passa para as mãos de chineses

Produção da Saab estava parada desde Junho devido a problemas de financiamento
Foto
Produção da Saab estava parada desde Junho devido a problemas de financiamento Reuters/Heinz-Peter Bader

Donos da Saab vendem 100% da empresa aos parceiros chineses da Pang Da e da Youngman pelo valor de 100 milhões de euros.

O acordo inclui a venda da Saab Automobile AB (na Suécia) e da Saab Great Britain (na Grã Bretanha), depois de o grupo Swedish Automobile ter comprado a empresa há cerca de um ano.

As negociações já decorriam desde Junho, altura em que a produção da Saab parou. O objectivo era desenhar um plano de "ajuda externa capaz de “assegurar a estabilidade da empresa a curto prazo”, através de uma injecção de capital, de acordo o El País.

A Pang Da e a Youngman chegaram a propor um financiamento 200 milhões de coroas suecas (cerca de 22 milhões de euros). Oferta que a Swedish Automobile recusou, segundo informações do jornal sueco Svenska Dagbladet.

Na passada segunda-feira, o grupo anunciou que não tinham chegado a acordo com os parceiros chineses, acusando-os de não terem “cumprido o compromisso” de encontrar uma solução para a construtora de automóveis sueca, segundo o jornal francês Le Monde.

Já em Setembro a Saab tinha apresentado em tribunal um pedido de reestruturação da empresa. Ao mesmo tempo, pediu a suspensão dos pagamentos aos seus credores por falta de fundos para continuar a produzir e dar resposta à procura.

Trabalhadores e fornecedores respiram de alívio

Em declarações ao jornal sueco Svenska Dagbladet, o presidente da associação comercial de fornecedores escandinavos, Frederick Sidahl, confessou estar aliviado com a venda da Saab, pois agora a fábrica vai poder retomar a produção. Sidahl admite ainda que o facto de a venda ter sido feita a parceiros chineses representa uma situação "financeiramente estável".

Também Kenneth Trei, vice-presidente da unidade da Saab em Trollhättan, mostrou-se feliz com a compra da empresa e confiante em relação ao futuro. "Agora existe uma maior esperança no futuro e isso dá-nos espaço para respirar", afirmou em declarações ao Svenska Dagbladet.

Os compradores da Saab

A Pang Da e a Yougman são as duas empresas do sector automóvel que compraram a Saab e ambas são dirigidas pelo economista chinês, Qinghua Pang.

Enquanto a Youngman produz automóveis pesados e ligeiros, a Pang Da é uma das maiores distribuidoras automóveis da China. Trabalha com marcas como a Audi, Mazda, Subaru, Acura, Volkswagen, Mercedes, entre outras. Em 2010, a empresa vendeu 470 mil veículos.

A Pang Da detém o primeiro lugar no top ten das empresas chinesas de vendas de automóveis, ocupa a 181ª posição na lista das 500 maiores empresas do país e está em 63º lugar no grupo das 500 maiores empresas de indústria e serviços do país.

Já a Youngman produz automóveis de transporte colectivo e ligeiros, camiões da marca MAN e componentes para automóveis. A fábrica tem cerca de quatro mil postos de trabalho, entre os quais, mais de 60 especialistas do ramo automóvel estrangeiros.

A Youngman ocupa 80% do mercado automóvel doméstico chinês e é líder na produção e distribuição de veículos de transporte de passageiros.

Notícia actualizada às 13h56
Sugerir correcção