Conflito atrasou desfecho da cimeira

Sarkozy pede a Cameron que pare de interferir na crise do euro

David Cameron e Nicolas Sarkozy
Foto
David Cameron e Nicolas Sarkozy REUTERS/Suzanne Plunkett

Durante o Conselho Europeu, que ontem sentou à mesma mesa os 27, o presidente francês ter-se-á exaltado com os comentários do primeiro-ministro britânico.

De acordo com fontes presentes na cimeira, Nicolas Sarkozy terá pedido a David Cameron que parasse de interferir nas discussões sobre o futuro da zona euro, depois de o presidente francês ter tentado afastar o Reino Unido, que não aderiu à moeda única, das discussões agendadas para quarta-feira.

“Perdeu uma grande oportunidade para estar calado. Estamos fartos das suas críticas e que nos diga o que fazer. Diz que odeia o euro e agora quer interferir nas nossas reuniões”, terá afirmado Sarkozy, de acordo com fontes diplomáticas citadas pelo Guardian.

O jornal diz mesmo que este conflito fez com as discussões se atrasassem e com que o encerramento do Conselho Europeu fosse adiado por cerca de duas horas, com o presidente a francês “a expressar raiva pelo constante criticismo dos ministros britânicos”.

David Cameron terá insistido em estar presente na cimeira da próxima quarta-feira, na qual se espera um acordo sobre o futuro da zona euro. O primeiro-ministro britânico cancelou mesmo uma viagem ao Japão e à Nova Zelândia para participar no encontro.

No entanto, o facto de o presidente francês defender que os países que não integram a zona euro devem ficar de fora do encontro fez com que colidissem.

De acordo com o Telegraph, David Cameron apoia os passos que a zona euro está a tomar para capitalizar os bancos e reforçar os fundos de resgate. No entanto, teme que na reunião agendada para a próxima quarta-feira seja criado um “bloco franco-alemão”, que coloque entraves à economia do Reino Unido e beneficie França e Alemanha.

Notícia corrigida às 09h32