Sporting alcança nona vitória seguida ao ritmo de goleada

Foto
Daniel Carriço inaugurou o marcador em Alvalade Rafael Marchante/Reuters

Um recorde para Domingos – no Braga tinha somado um máximo de oito triunfos seguidos – e uma marca que ameaça o melhor de Paulo Bento (dez consecutivos). Os “leões” somam uma série vitoriosa de nove jogos, estão no terceiro lugar e esta noite o primeiro golo até foi fabricado pela dupla Polga-Carriço, dois jogadores da casa e que pareciam ter o lugar perdido na equipa: o brasileiro serviu o português, que não marcava um golo desde 21 de Setembro de 2009.

É um Sporting em estado de graça, depois de um início desgraçado de época. Agora, o plantel já acorda feliz. Domingos e Wolfswinkel, por exemplo. O primeiro deixou de ter pesadelos e conseguiu trazer as vitórias para Alvalade, o segundo não pára de marcar – sofreu falta e cobrou o respectivo penálti, chegou aos 5 golos e está a um dos máximos goleadores que são Baba e Cardozo.

Sem poder utilizar Elias na Liga Europa (impedido por ter jogado pelo Atlético de Madrid), Domingos deu-lhe a titularidade, ao lado de Rinaudo e Schaars, mas não prescindiu de Matías, em boa forma. Com o meio-campo povoado, o Gil Vicente só começou a ceder espaços quando sofreu o segundo golo, por Wolfswinkel.

Aí, entrou em acção Capel. Baixinho (1,73m), rápido como uma flecha, fez dois golos de rajada e ambos de cabeça (aos 62’ e 66’). A assistência de João Pereira saiu perfeita no primeiro, no segundo aproveitou um ressalto após remate de Carrillo. Com isto tombou o Gil, equipa que só por uma vez venceu em Alvalade, frente ao Sporting de Cristiano Ronaldo e Jardel em 2002-03 (marcou Paulo Alves, hoje o treinador da equipa de Barcelos).

Roberto ainda reduziu para os gilistas – aproveitou um erro de marcação de João Pereira –, mas a festa estava feita e até deu para Bojinov se estrear a marcar. O arranque de Carrillo foi determinante no primeiro e no segundo golos do búlgaro.

Domingos terminou o jogo com três avançados, de peito cheio com uma goleada rara: a última vez que o Sporting venceu por 6-1 para a Liga foi em 2004, à custa do Boavista.

POSITIVO
Capel/Bojinov

O espanhol já tinha sido fundamental em Guimarães (marcou o único golo) e agora fez mais dois, ele que nunca tinha bisado na carreira. Foi ele a acabar com o jogo. O búlgaro estreou-se a marcar e fechou a noite com festejos a dobrar.


Carrillo

O peruano não marcou, mas esteve em três dos seis golos. As suas arrancadas criam desequilíbrios e deixam a defesa adversária à mercê dos avançados leoninos.



NEGATIVO
Polga

Numa noite quase perfeita, o brasileiro consegue estar nos poucos maus momentos da sua equipa. No golo sofrido, orientou mal a defesa e durante a partida mostrou falta de tranquilidade.


Gil Vicente

Fechou o ciclo com os “grandes” da pior maneira. Empatou com o Benfica em casa, mas perdeu com FC Porto e Braga. Agora foi goleado pelo Sporting, depois de uma série de três jornadas sem perder. E não fosse o guarda-redes Adriano a coisa podia ter sido mais feia.


Ficha de jogo

Sporting,


6

Gil Vicente,


1

Jogo no Estádio José de Alvalade, em Lisboa. 
Assistência
30.103 espectadores.

Sporting

Rui Patrício, João Pereira, Daniel Carriço, Polga, Insua, Elias, Rinaudo (Diego Rubio, 70’), Schaars, Matías (Carrilo, 63’), Capel (Bojinov, 74’) e Wolfswinkel.

Gil Vicente

Adriano, Éder, Halisson, Sandro, Júnior Caiçara, Richard, Pedro Moreira (Guilherme, 29’), Luís Manuel, Sidnei, Luís Carlos (Yero, 82’) e Laionel (Roberto, 53’).

Árbitro

João Capela, de Lisboa.

Amarelos

P. Moreira (25’), Rinaudo (36’), Luís Carlos (37’) e Halisson (58’).

Golos

1-0, por D. Carriço, aos 7’; 2-0, por Wolfswinkel, aos 58’; 3-0, por Capel, aos 62’; 4-0, por Capel, aos 65’; 4-1, por Roberto, aos 75’; 5-1, por Bojinov, aos 79’; 6-1, por Bojinov, aos 90+2’.

Notícia actualizada às 22h50