Chanceler alemã pede envolvimento do Tribunal de Justiça da UE

Merkel quer sanções mais duras para países endividados

“É preciso parar de se viver acima das possibilidades de cada um”, disse hoje Angela Merkel
Foto
“É preciso parar de se viver acima das possibilidades de cada um”, disse hoje Angela Merkel Tobias Schwarz/Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, exigiu hoje sanções mais severas e a denúncia ao Tribunal de Justiça da União Europeia dos parceiros europeus que não controlem as suas contas públicas e que se endividem excessivamente.

“Bruxelas tem falta de competências nesse sentido”, reconheceu hoje a chanceler alemã durante uma iniciativa das juventudes da União democrata-cristã (CDU) que preside na cidade de Braunschweig, no norte da Alemanha.

Angela Merkel afirmou que, se um país viola durante anos o Pacto de Estabilidade e Crescimento, deve ser acusado perante o Tribunal da EU, com independência da autonomia dos Estados-membros. “Precisamos de mais Europa e mais capacidade de acção nesse campo”, caso contrário não se atingirá um nível equilibrado de competitividade dos países comunitários, afirmou a chanceler, um dia antes da cimeira de chefes de Estado e de Governo na União Europeia.

Poucas horas depois, noutro encontro político da CDU, Merkel apelou aos Estados-membros para que deixem de “viver do crédito”. “É preciso parar de se viver acima das possibilidades de cada um”, disse.