O sargento Shamar Thomas condena violência policial nas manifestações anti-Wall Street DR
Foto
O sargento Shamar Thomas condena violência policial nas manifestações anti-Wall Street DR

Militar afronta polícias que maltratavam manifestantes

Vídeo partilhado no YouTube revela um apoiante inesperado no movimento Occupy Wall Street: um sargento dos Marines

O movimento Occupy Wall Street teve um apoiante inesperado no protesto global de 15 de Outubro: o sargento dos Marines Shamar Thomas.

O militar estava numa rua de Nova Iorque quando viu a polícia bater em manifestantes, não gostou e puxou dos galões à frente de cerca de 30 agentes, que ficaram sem reacção. A cena ficou registada em vídeo e está a circular a grande velocidade pela Internet.

"Isto não é uma zona de guerra", grita Shamar Thomas, a um surpreendido grupo de agentes policiais. O vídeo – que foi publicado no YouTube no domingo e que, em dois dias, já foi visualizado quase meio milhão de vezes – não mostra o que motiva a reacção do "marine". Apenas a sua ira crescente e a forma veemente como condena as acções violentas da polícia nova-iorquina.

"Deixem estas pessoas em paz"

"Estas pessoas não estão armadas. Magoá-las não vos fará mais duros", argumenta. "Se querem lutar, vão para o Iraque e para o Afeganistão. Deixam estas pessoas em paz. São cidadãos norte-americanos. Cidadãos norte-americanos! Cidadãos norte-americanos! Norte-americanos!"

Shamar Thomas é, ele próprio, um veterano de guerra. Com 24 anos de idade, foi destacado para o Iraque duas vezes, informa a legenda do vídeo. O militar corrobora de viva voz. E acrescenta: a mãe também esteve no Iraque; o pai foi mobilizado para o Afeganistão. A ligação da sua família às Forças Armadas vem, de resto, ainda mais de trás: o avô serviu no Vietname e o bisavô na Segunda Guerra Mundial.

Lê o artigo completo no PÚBLICO