Em 1973 éramos uns dez surfistas na zona de Lisboa Pedro Cunha
Foto
Em 1973 éramos uns dez surfistas na zona de Lisboa Pedro Cunha

Ericeira, Reserva Mundial de Surf

A Ericeira celebra oficialmente o reconhecimento como Reserva Mundial de Surf (a segunda do mundo). "As melhores ondas do país estão aqui", garantem

Ulisses puxa os caracóis para trás e faz contas de cabeça. "Ando aqui há 32 anos", calcula. "Aqui" quer dizer a fazer surf. "Em 1973 éramos uns dez surfistas na zona de Lisboa. Começámos em Carcavelos, depois na Costa de Caparica, e conhecemos uns australianos que vinham de Marrocos e já faziam surf aqui."

Em Portugal não se vendiam pranchas, por isso os portugueses compraram as dos australianos quando estes se foram embora. "Nem fatos tínhamos. De Inverno fazíamos surf com camisolas de lã preta."

Eram os tempos em que o surf era visto "como um desporto de drogados" — e a heroína matou de facto alguns dos amigos de Ulisses. Estrangeiros, vinham poucos. Alguns australianos, nada mais. Só nos anos 1990 é que as coisas começaram a mudar. Ulisses entretanto partiu, viveu 15 anos na Austrália e foi aí que percebeu que abrir uma escola de surf podia ser uma boa ideia.

PÚBLICO -
Foto
Em Portugal não se vendiam pranchas Pedro Cunha

Hoje vive na Ericeira, onde abriu a Gipsy on the Move, e, desde Janeiro, a Blue Ocean, uma parceria com a Câmara de Mafra. E tem um surf camp, onde oferece um programa para estrangeiros que inclui desde os transferes do aeroporto, aulas, refeições e estadia —numa quinta antiga, com mais de 200 anos, com um pomar, muitas camas-beliche e um patiozinho para comer cá fora. "De Verão tenho mais iniciados, de Inverno tenho outro tipo de cliente, que já sabe fazer surf mas quer um guia."

PÚBLICO -
Foto
O surf era visto como um desporto de drogados Pedro Cunha

  

As escolas de surf foram nascendo na Ericeira como cogumelos. Uma das grandes marcas mundiais, a Quiksilver, patrocina o mais famoso surfista português, o campeão Tiago Pires, mais conhecido como Saca, e abriu agora um grande espaço na Ericeira, com loja, bar, lounge, skate park e uma escola de surf apoiada por Tiago Pires.

Lê o artigo completo (com fotogaleria) na Fugas