Depois do chumbo de terça-feira

Parlamento da Eslováquia ratifica alargamento do FEEF

Primeira-ministra da Eslováquia caiu, mas o FEEF passou
Foto
Primeira-ministra da Eslováquia caiu, mas o FEEF passou Reuters

O parlamento da Eslováquia acaba de ratificar o alargamento do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), concluindo, assim, o processo de aprovação por parte dos 17 países da zona Euro.

A aprovação de hoje surge depois do chumbo de terça-feira, que acabou por provocar a queda do Governo centro-direita, da primeira-ministra Iveta Radicova.O consenso necessário à ratificação do FEEF só foi possível depois da convocação de eleições, marcadas para 10 de Março do próximo ano.

A conclusão da ratificação do FEEF é um alívio para a União Europeia, com cimeira europeia marcada para o próximo do 23, onde se pretende que sejam aprovadas novas medidas de combate à crise.

O alargamento do FEEF foi aprovado em Junho, mas só agora a sua ratificação ficou concluída, o que é revelador da pouca celeridade que a união Europeia apresenta na concretização de medidas.

A extensão do FEEF prevê aumentar a capacidade de financiamento para os 440 mil milhões de euros, para socorrer os países em dificuldades.

As incertezas quanto ao largamento do FEEF têm provocado fortes desvalorização nos mercados accionistas, que hoje estão novamente negativos, e subidas dos juros das obrigações soberanas de vários países europeus, incluindo de Espanha e de Itália.

Notícia actualizada às 17h05