Pedro Rosa Mendes lançou Peregrinação de Enmanuel Jhesus em 2010 Daniel Rocha/arquivo
Foto
Pedro Rosa Mendes lançou Peregrinação de Enmanuel Jhesus em 2010 Daniel Rocha/arquivo

A peregrinação de Pedro Rosa Mendes vence PEN Clube

"Peregrinação de Enmanuel Jhesus" foi uma escolha consensual e unânime

O romance "Peregrinação de Enmanuel Jhesus" (Dom Quixote, 2010), do escritor e jornalista Pedro Rosa Mendes, ganhou na segunda-feira o prémio PEN Clube na categoria de narrativa. O ensaísta Luiz Fagundes Duarte, que integrou o júri, a par de Maria João Cantinho e do ficcionista Manuel de Queiroz, disse ao PÚBLICO que a escolha foi consensual e unânime.

"Concorriam cerca de 50 romances, mas logo no início da reunião começou a ficar claro que o vencedor iria ser o romance de Pedro Rosa Mendes".Considerando que se trata de "uma história muito interessante e muito bem contada", Fagundes Duarte destaca sobretudo "o trabalho de linguagem" do autor, referindo ainda o modo como este romance aborda "a expansão da cultura e língua portuguesas".

Na categoria de poesia, o vencedor foi o poeta e dramaturgo Jaime Rocha, com "Necrophilia" (Relógio D"Água, 2010), obra escolhida por Francisco Belard, Liberto Cruz e Manuel Frias Martins.

O júri do prémio de ensaio - constituído por Maria João Reynaud, Álvaro Manuel Machado e Fernando Cabral Martins - decidiu atribuí-lo, ex aequo, a João Barrento, pelo livro "O Género Intranquilo: Anatomia do Ensaio e do Fragmento", e a Jorge Vaz de Carvalho, autor de "Jorge de Sena: 'Sinais de Fogo' como Romance de Formação". Ambos os livros foram publicados em 2010 pela Assírio & Alvim.

Como habitualmente, o PEN Clube atribuiu ainda um prémio destinado a consagrar a primeira obra de um autor, elegendo desta vez o romance "Rio Homem" (ASA, 2010), estreia literária do actor André Gago. O júri integrou elementos dos jurados dos restantes prémios, e ainda a escritora Teresa Salema, presidente do PEN Clube.

Os vencedores nas três categorias principais irão receber, cada um, cinco mil euros, cabendo ao vencedor da melhor primeira obra um prémio monetário de 2500 euros.

A cerimónia de entrega dos prémios, que terá lugar nas instalações da Sociedade Portuguesa de Autores, ainda não está marcada, mas Teresa Salema disse ao PÚBLICO esperar que ainda seja possível agendá-la para este ano.