Mudanças dentro do grupo CGD

Adalberto Campos Fernandes é o novo presidente do Hospital de Cascais

O médico presidiu o Hospital de Santa Maria entre 2005 e 2010
Foto
O médico presidiu o Hospital de Santa Maria entre 2005 e 2010 Foto: Enric Vives-Rubio/arquivo

Adalberto Campos Fernandes, antigo presidente do conselho de administração do Hospital de Santa Maria, lugar que deixou em 2010 para regressar ao seu lugar no BCP, é o novo presidente executivo da HPP SGPS (Hospitais Privados de Portugal) para o Hospital de Cascais.

A decisão, já avançada aos colaboradores do grupo num comunicado a que PÚBLICO teve acesso, insere-se na estratégia de redução do número de gestores que o grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD) pretende levar a cabo na Caixa Seguros e Saúde SGPS e HPP SGPS tendo em conta que muitos dos mandatos tinham terminado no final de 2010.

O comunicado sobre a nomeação dos novos órgãos sociais é já assinado pelo também novo presidente do conselho de administração da HPP, Jorge Magalhães Correia. “O Conselho de Administração da Caixa Seguros e Saúde, SGPS, SA, formalizou ontem a designação do signatário para o cargo de Presidente do Conselho de Administração da HPP SGPS, em acumulação com o actual cargo de Presidente do Conselho de Administração das principais Seguradoras do Grupo”, lê-se na nota divulgada junto dos trabalhadores.

Como vogais do conselho de administração da HPP ficam João Martins (já administrador da HPP), Pedro Dias Alves (ex-quadro do Grupo José de Mello Saúde e actual membro da administração da HPP Cascais) e Maria Amélia Jorge (ex-quadro do Instituto de Participações do Estado que participou na preparação da proposta da parceria público-privada de Cascais).

A presidência executiva do Hospital de Cascais (uma parceria público-privada) fica nas mãos de Adalberto Campos Fernandes. O também professor da Escola Nacional de Saúde Pública deixou no início de 2010 o Centro Hospitalar Lisboa Norte (Hospital de Santa Maria e Hospital Pulido Valente) para regressar ao Millennium BCP, numa altura em que a unidade pública do SNS conseguiu equilibrar as contas e gerar resultados positivos. Licenciado em Medicina, especialista e mestre em Saúde Pública e com formação também na área da gestão, chegou por várias vezes a ser apontado como possível ministro da Saúde.

Contactado pelo PÚBLICO, Adalberto Campos Fernandes preferiu para já não tecer comentários sobre as ideias que tem para o Hospital de Cascais, nomeadamente que estratégia vai delinear para equilibrar as contas da unidade hospitalar que abriu portas em 2010, envolta em polémica sobre os custos desta parceria para o sector público e com problemas de concepção de espaço e falta de recursos humanos.

No que diz respeito a todas as unidades subsidiárias da HPP (como o Hospital dos Lusíadas), estas ficarão nas mãos de João Martins, que já fazia parte do conselho de administração da HPP SGPS. Jorge Magalhães Correia garante, contudo, que, “em termos gerais, o modelo de governação agora adoptado visa dar continuidade ao trabalho desenvolvido, introduzindo-lhe, no entanto, alguns ajustamentos decorrentes do termo de mandatos, das características das equipas de gestão e da intenção accionista de assegurar que a prevista alienação da área hospitalar do Grupo CGD decorra em condições que melhor valorizem o desenvolvimento deste importante projecto”.

O novo responsável não esconde, porém, que o processo de alienação da área hospitalar da CGD será um processo complexo, defendendo ainda assim que poderá ser “um desafio motivador e uma oportunidade para capitalizar a qualidade” dos serviços e recursos técnicos e humanos do grupo.

Sugerir correcção