Liga

A goleada pareceu sempre inevitável, mas o Paços soube assustar

Saviola marcou os primeiros dois golos do Benfica
Foto
Saviola marcou os primeiros dois golos do Benfica Hugo Correia/Reuters

O Benfica ameaçou a goleada desde os primeiros instantes da partida, mas o frágil Paços de Ferreira conseguiu ir adiando o inevitável. E até provocou um susto na Luz. Mas, no final, os 4-1 no marcador pecavam por escassos para a equipa da casa. Para já, os “encarnados” são líderes isolados da Liga, pelo menos até este domingo.

A insistente aposta de Jesus em Saviola deu , finalmente, frutos. Na Roménia, a meio da semana, o avançado voltara a ter uma exibição pálida, mas o técnico não desistiu, voltou a apostar na sua titularidade e venceu a aposta. Dois golos do argentino no primeiro tempo levaram à sua reconciliação com as bancadas e começaram a contar a história de mais um triunfo “encarnado” no campeonato.

Mas para a festa “encarnada” neste regresso à Luz, após duas rondas fora-de-casa que valeram um importante empate no Dragão, frente ao FC Porto (2-2) e um triunfo de 800 mil euros na Champions, contribuiu um Paços de Ferreira a léguas da equipa que foi finalista da última Taça da Liga (perdeu, precisamente, contra o Benfica, por 2-1). Com sete baixas entre lesões e castigados, a equipa treinada por Luís Miguel entrou bem acanhada no relvado lisboeta.

O massacre benfiquista começou logo aos 6’, com um golo (mal) anulado a Cardozo, numa jogada que confirmou desde logo os constrangimentos defensivos dos pacenses. O paraguaio voltaria a tentar aos 8’, desta vez com Cassio a defender, mas seriam necessária mais alguma paciência aos homens da casa. Numa grande jogada do ataque do Benfica, iniciada com um soberbo passe de Aimar da esquerda, uma recepção não menos espectacular de Maxi Pereira, na direita, um novo cruzamento do lateral para Cardozo no outro lado do campo e um centro do paraguaio a servir um golo de Saviola, que não marcava desde a primeira jornada do campeonato com o Gil Vicente (2-2). Tudo com o Paços a olhar.

Aos 43’, Saviola voltaria a marcar e a beneficiar desta apatia do adversário, quando, após um canto, sem oposição no segundo poste, bisou.

Tudo prometia a confirmação da goleada no segundo tempo, mas um golpe de teatro do Paços trouxe mais alguma emoção ao encontro. Num duelo Luisão/Luisinho, ganhou, inesperadamente, o “David” forasteiro, derrubado pelo gigante na área “encarnada”, aos 50’. Michel, o marcador de serviço do Paços (já apontara dois ao Sporting esta temporada), reduziu.

Entre um ataque benfiquista extraordinariamente perdulário e uma defesa “encarnada” com deslizes inexplicáveis, seria um “benfiquista” a deixar a Luz à beira de um ataque de nervos. Melgarejo, jovem paraguaio de 21 anos, emprestado aos pacences, cabeceou sem oposição na área da equipa da casa para uma grande defesa de Artur. Os ânimos da bancada aqueceram.

O Benfica, cada vez mais nervoso, somava falhanços e teve de ser um central a subir no terreno para acabar com a malapata. Luisão, redimindo-se a si próprio e aos seus colegas, recolocou a vantagem em dois golos, aos 65’. Acabavam os sonhos do Paços e dois minutos depois, o recém-entrado Nolito confirmou a goleada, apontando o seu oitavo golo da temporada.

POSITIVO
Saviola

Pode ter sido a recuperação do argentino, que bisou num jogo em que foi um dos melhores.


Jorge Jesus

A segunda goleada em casa, pelos mesmos números, depois de dois excelentes resultados fora de casa. O moral está bem alto.


NEGATIVOPaços de Ferreira

Ainda assustou o Benfica, mas mais por demérito dos homens da casa do que por sua vontade.


Fiscais de-linha

Muitos erros que não tiveram influência nos pontos, só na dimensão da goleada.


Ficha de jogo

Benfica 4


P. Ferreira 1


Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.Assistência: 33.467 espectadores.

Benfica

Artur, Maxi Pereira, Luisão, Garay, Emerson, Matic, Gaitán (Witsel, 74), Aimar, Bruno César (Nolito, 61), Saviola (Rodrigo, 78) e Cardozo. Treinador: Jorge Jesus.

Paços de Ferreira

Cássio, Diogo Figueiras, Eridson, Cohene, Luisinho, Filipe Anunciação, Luiz Carlos, Melgarejo (Caetano, 78), Josué, Vítor (Sassá, 64) e William (Michel, 36). Treinador: Luís Miguel.

Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal). Amarelos Melgarejo (09), Matic (45+1), Luisão (51), Gaitán (52), Josué (54), Luisinho (68) e Nolito (88).

Golos

1-0, por Saviola, aos 21'


2-0, por Saviola, aos 43'


2-1, por Michel, aos 51'


3-1, por Luisão, aos 65'


4-1, por Nolito, aos 67'


Notícia actualizada às 22h46