Râguebi

Campeonato do Mundo perde a primeira grande selecção

Bryan Habana marcou o uníco ensaio da África do Sul
Foto
Bryan Habana marcou o uníco ensaio da África do Sul IRB

A África do Sul derrotou na manhã desta sexta-feira a selecção de Samoa por 13-5 em partida do Grupo D do Campeonato do Mundo de râguebi.

Era inevitável: num grupo onde estavam os campeões do mundo (África do Sul) e as selecções que mais têm impressionado positivamente na prova (País de Gales e Samoa), alguém teria que ficar de fora. Acabou por ser Samoa a levar a pior, mas a equipa do Pacífico Sul abandona o Mundial 2011 de cabeça bem erguida.

O Grupo D foi definido como o “grupo da morte” pela qualidade das equipas envolvidas e não desiludiu ninguém. Os jogos África do Sul-País de Gales, País de Gales-Samoa e África do Sul-Samoa foram dos mais espectaculares e disputados até ao momento na competição.

Nos seis jogos anteriores entre os dois países, o melhor que Samoa tinha conseguido fora uma derrota por 27 pontos (35-8) e nos dois Mundiais anteriores os Springboks tinham despachado os samoanos por 59-7 (2007) e 60-10 (2003). No entanto, apesar do enorme favoritismo dos sul-africanos, desta vez Samoa ameaçava vender muito cara a derrota no North Harbour Stadium e foi isso o que aconteceu.

Os Springboks precisavam de dois pontos (empate ou derrota com pontos de bónus ofensivo e defensivo) para garantir a liderança no Grupo D, mas um bastava para alcançar o apuramento. Mas para os campeões do mundo a prioridade era, obviamente, ganhar e somar a 11.º vitória consecutiva na competição.

Como é habitual a África do Sul entrou muito forte no jogo e, logo aos nove minutos, Bryan Habana marcou o primeiro ensaio da partida. O ponta sul-africano passou a somar 40 pela sua selecção.

Após suster o fulgor inicial do adversário, Samoa começou aos poucos a entrar no jogo e a ter mais posse de bola, mas a maior experiência dos jogadores da África do Sul ia fazendo a diferença. Os erros samoanos eram aproveitados pelos campeões do mundo que, através de duas penalidades convertidas por Morné Steyn e Frans Steyn, chegaram ao intervalo a ganhar por 13-0.

A diferença no marcador explicava-se através de dois valores estatísticos: oito dos 11 alinhamentos tinham sido ganhos pela África do Sul; os sul-africanos conseguiram cinco turnovers contra um do adversário.

A segunda parte mostrou Samoa ao ser melhor nível. Apesar da desvantagem no marcador, os jogadores do Pacifico corrigiram os erros e entraram com o habitual espírito guerreiro. Com isso, forçaram os campeões do mundo a cometer mais erros e assumiram por completo o domínio do jogo.

Aos 51 minutos, a persistência dos samoanos foi premiada com um ensaio do terceira-linha George Stowers (13-5). Com a África do Sul em dificuldades, o segundo ensaio esteve perto de acontecer aos 67 minutos, quando Samoa ficou a menos de um metro da linha de ensaio, mas uma intervenção do sul-africano JP Pietersen (aparentemente em falta) acabou com o perigo para os Springboks.

Depois, a categoria e experiência dos campeões do mundo e os erros dos jogadores de Samoa – aos 70 minutos Paul Williams agrediu com um murro Heinrich Brüssow e tornou-se no primeiro jogador a ser expulso no Mundial – mantiveram o resultado inalterado até final.

Com esta vitória a África do Sul garante o primeiro lugar e o País de Gales tem praticamente garantido o segundo posto – apenas precisa de um ponto contra Fiji. Para Samoa é o fim da prova, mas a selecção samoana será sempre recordada como uma das grandes equipas que marcaram presença na Nova Zelândia.

Estatística: África do Sul-Samoa (13-5)

Ensaios:África do Sul – 1 (Bryan Habana 9’)
Samoa – 1 (George Stowers 51’)

Penalidades convertidas:África do Sul – 2 em 5 (Frans Steyn 25’ e Morné Steyn 27’)
Samoa – 0 em 0

Posse de bola:África do Sul – 45 por cento
Samoa – 55 por cento

Ocupação de terrenoÁfrica do Sul – 53 por cento
Samoa – 47 por cento

Formações ordenadas a favorÁfrica do Sul – 8 ganhas, 0 perdidas
Samoa – 7 ganhas, 0 perdidas

Alinhamentos a favor:África do Sul – 11 ganhos, 3 perdidos
Samoa – 11 ganhos, 4 perdidos

Erros no jogo à mão:África do Sul – 10
Samoa – 8

Placagens:África do Sul – 152 concretizadas, 27 falhadas
Samoa – 77 concretizadas, 11 falhadas

Jogador com mais placagens: Heinrich Brüssow (África do Sul) com 17 concretizadas

Homem do jogo: Schalk Burger (África do Sul)

Resultados do Grupo D

Fiji-Namíbia: 49-25


África do Sul-País de Gales: 17-16


Samoa-Namíbia, 49-12


África do Sul-Fiji, 49-3


País de Gales-Samoa: 17-10


África do Sul-Namíbia: 87-0


Fiji-Samoa: 7-27


País de Gales-Namíbia: 81-7


África do Sul-Samoa: 13-5


Classificação

África do Sul: 4 jogos, 18 pontos


País de Gales: 3 jogos, 10 pontos


Samoa: 4 jogos, 10 pontos


Fiji: 3 jogos, 5 pontos


Namíbia: 3 jogos, 0 pontos


(Vitória: 4 pontos; Empate: 2 pontos; Quatro ou mais ensaios marcados num jogo: 1 ponto de bónus; Derrota por menos de sete pontos: 1 ponto de bónus)

Jogo por disputar

País de Gales-Fiji: 02/10, 06h00