O Sporting entusiasmou e depois resistiu

Foto
O Sporting chegou ao intervalo em vantagem Foto: Rafael Marchante/Reuters

No dia anterior, Domingos havia dito que este Sporting tinha capacidade de entusiasmar os adeptos e que já o tinha demonstrado. E depois da plena demonstração de força que mostrara frente ao Vitória de Setúbal, voltou a fazê-lo contra a Lazio. O técnico tinha assumido o risco de querer mandar no jogo e manifestado o desejo de marcar muito cedo, como tem acontecido ultimamente. Não aconteceram golos nos primeiros 15 minutos, é certo, mas o Sporting foi uma equipa entusiasmante, dominadora, não fazendo caso do nome do seu adversário nem das suas características intrínsecas como representante do futebol italiano, um predador que se resguarda e que espera pelo erro dos outros.

Em relação ao “onze” dos últimos jogos, as diferenças não surpreenderam. Polga no lugar do lesionado Rodríguez e Matías em vez de Elias, que não pode jogar na Liga Europa porque já o fez nesta temporada pelo Atlético de Madrid. Apesar de não ter o brasileiro, o Sporting manteve-se dinâmico no meio-campo, arriscando no passe curto e rápido.

O primeiro sinal de perigo pertenceu à Lazio, com um contra-ataque de Rocchi aos 13’, que meteu a bola em Klose, isolado frente a Rui Patrício, mas em fora-de-jogo. Mas era o Sporting que dominava e teve o seu prémio aos 21’. Jogada pela esquerda de Diego Capel, o espanhol mete em Ricky van Wolfswinkel, que, de costas para a baliza e com o calcanhar esquerdo, faz o 1-0. É o sexto golo do avançado holandês na temporada e o quinto jogo consecutivo a marcar, uma regularidade goleadora que já não se via em Alvalade desde os tempos do melhor Liedson.

No meio do domínio sportinguista, uma amostra do cinismo italiano. Livre marcado do lado direito do ataque, bola nas costas de Polga e junto ao segundo poste, onde estava Klose para a concretização fácil — o alemão já tinha marcado por duas vezes ao Sporting pelo Bayern numa eliminatória da Liga dos Campeões e voltou a fazê-lo ontem pela Lazio.

Mas os “leões” voltaram a colocar-se na frente na altura certa. Mesmo a fechar a primeira parte, Insúa rematou de fora da área e um toque num defesa romano colocou a bola fora do alcance de Marchetti. Nos festejos, o argentino levou um cartão amarelo (rematou a bola para a bancada) que lhe ia custar muito caro pouco depois. Já na segunda parte, o lateral viu o segundo amarelo por falta dura, foi expulso e o Sporting ficou a jogar com dez.

A inferioridade numérica fez o Sporting recuar e obrigou-o a resistir em vez de pressionar e dominar. Com um perigo chamado Djibril Cissé em campo, os italianos assumiram o controlo do jogo e tiveram várias oportunidades para marcar, incluindo uma bola ao poste do avançado francês e um cabeceamento por cima de Rocchi. Mas desta vez, o Sporting segurou a vitória. Um sinal de que as coisas estão mesmo a mudar.

POSITIVOVan Wolfswinkel

Não é um jogador de luta, mas é de posição e sabe estar no sítio certo. Seis golos nos últimos cinco jogos.


Onyewu

Começou mal a temporada, mas agarrou o lugar e parece já ser um indiscutível. Pelo ar ninguém o bate.


Cissé

Klose fez um bom trabalho e marcou um golo, mas o ataque da Lazio só carburou quando o francês entrou em campo.


NEGATIVOPolga

Foi batido por Klose no golo da Lazio, um erro indesculpável numa exibição que até estava a ser positiva.


Ficha de Jogo

Sporting, 2


Lazio, 1


Jogo no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.Assistência 33.725 espectadores.

Sporting

Rui Patrício, João Pereira, Onyewu, Anderson Polga, Insúa, Rinaudo, Matias Fernández (André Santos, 69’), Schaars, Carrillo (Evaldo, 52’), Van Wolfswinkel e Diego Capel (Daniel Carriço, 74’). Treinador Domingos Paciência

Lázio

Marchetti, Konko, Diakité, André Dias (Radu, 69’), Lulic, González, Cana, Brocchi (Sculli, 63’), Hernanes, Klose (Cissé, 46’) e Rocchi. Treinador Edy Reja

Árbitro

Serge Gumienny, da Bélgica.

Amarelos

André Dias (31’), Rinaudo (44’), Insúa (45+2’ e 50’), João Pereira (51’), Cissé (56’), Sculli (90+1’) e Rocchi (90+2’).

Vermelho por acumulação

Insúa (50’).

Golos

1-0, por Wolfswinkel, aos 21’; 1-1, por Miroslav Klose, aos 40’ e 2-1, por Insúa, aos 45+2’.

Notícia actualizada às 22h37