Parlamento

Deputado do PS eleito pela Madeira suspende mandato em discordância com partido

O deputado do PS na Assembleia da República eleito pela Madeira decidiu suspender o mandato, alegando que apesar da responsabilidade da situação financeira ser do Governo Regional não se revê nas posições do seu partido nesta questão.

“Sou madeirense e considero que se está a usar a dívida, os buracos e os erros de governação na Madeira para fazer esquecer os erros colossais que o país fez ao longo do tempo”, disse à agência Lusa Rui Caetano.

O deputado socialista insular salienta que “o PS-Madeira sempre alertou para estes problemas, a todos os Presidentes da República e todos os primeiros-ministros, incluindo os socialistas, e eles foram fazendo de conta que esqueciam a situação”.

“Na actual conjuntura há uma estratégia política com qual não estou de acordo porque sou madeirense; [também não não concordo] com este estigma que está a cair sobre a Madeira e os madeirenses e não aceito este tipo de comportamento”, frisou.

E acrescenta: “Se continuasse neste momento, na actual conjuntura, na Assembleia da República provavelmente seria obrigado a apoiar medidas que violariam os meus princípios e aquilo que defendo como sendo os interesses da Madeira, que têm de estar acima de tudo”.

Rui Caetano sublinha que “não há dúvida que Alberto João Jardim pôs em causa o futuro da própria autonomia, mas também há depois as posições e estratégias do próprio PS ao longo do tempo” que devem ser levadas em conta.

“Por isso, considero que este é o momento certo para optar e neste caso opto pela escola, como sempre disse de início”, declarou o deputado regional mesmo sem conhecer o parecer da Comissão de Ética sobre a questão da compatibilidade do exercício simultâneo dos cargos de deputado e responsável de uma escola na capital madeirense que foi suscitada.

Realça que “tendo em conta a conjuntura”, prefere “assumir o projecto da escola, deixar a política para já, continuando, contudo, como vereador na câmara do Funchal”.

Mas Rui Caetano rejeita que esteja a “abandonar” o eleitorado que votou nele com esta decisão, salientando que não foi “eleito directamente”, pois se tivesse sido o cabeça de lista a sua “posição seria outra”.

Rui Caetano foi o número dois da lista do PS pelo círculo da Madeira, que foi encabeçada pelo líder do PS-M, Jacinto Serrão, e será substituído a partir de segunda-feira por Isabel Sena Lino, que também já ocupou a cadeira na bancada socialista da Assembleia da República representando esta região.

Sugerir correcção