Parlamento

Maioria PSD/CDS-PP rejeita criar comissão sobre finanças da Madeira

O PCP anunciou hoje que a maioria PSD/CDS-PP rejeitou a sua proposta de criação de uma comissão eventual para avaliar a situação financeira da Madeira considerando que isso não deve acontecer antes das eleições nesta região.

Segundo o PCP, esta posição foi assumida na conferência de líderes parlamentares e a maioria PSD/CDS-PP também não deixou a indicação de que aceitará criar essa comissão a seguir às eleições regionais de 9 de Outubro na Madeira.

“Não pude tirar essa conclusão das intervenções que foram feitas”, declarou o líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares, aos jornalistas, no Parlamento, adiantando que os comunistas vão insistir nesta proposta: “Na próxima conferência de líderes voltaremos a propor o seu agendamento e ele com certeza será debatido ainda no mês de Outubro”.

O líder parlamentar do PCP referiu que a situação financeira da Madeira é “um assunto que está a ser debatido todos os dias”, considerando que isso justifica uma iniciativa “no mais curto espaço de tempo possível”.

Por outro lado, alegou que se a comissão proposta do PCP fosse criada nesta altura, para realizar os seus trabalhos num prazo de 90 dias, “o seu funcionamento seria sem dúvida só depois das eleições” na Região Autónoma da Madeira.

Bernardino Soares disse, por isso, não compreender o entendimento da maioria parlamentar de que “não era agora a altura de o fazer”.

Na reunião de hoje, que durou mais de duas horas, a conferência de líderes marcou o próximo debate quinzenal com o primeiro-ministro para a próxima quarta-feira, dia 28, e para dia 29 foi agendado um debate de urgência pedido pelo PCP sobre o início do ano lectivo.

Entre outros agendamentos, foram também agendadas para dia 29 propostas do Governo sobre justiça, sobre o Tribunal de Contas e sobre as fundações, enquanto que a sessão plenária de dia 30 foi reservada pelo PS através de um agendamento potestativo.

Sugerir correcção