Liga dos Campeões

Rooney recuperou a forma e o cabelo e chega à Luz com números bestiais

Wayne Rooney (à direita na foto) é um homem novo esta temporada
Foto
Wayne Rooney (à direita na foto) é um homem novo esta temporada Foto: José Manuel Ribeiro/Reuters

Há um ano, o escândalo sobre a vida privada rebentou e Rooney entrou em depressão. Agora descansou, desistiu de emagrecer, fez um implante capilar e marca golos como nunca.

Wayne Rooney acabou a época, foi de férias e desistiu do programa de emagrecimento que os médicos do Manchester United exclusivamente lhe prepararam. Cinco semanas de auto-imposta inactividade nas Caraíbas e no Sul de França com a família trouxeram de volta o melhor Rooney dos últimos anos, com cinco golos nos primeiros três jogos na Premier League (leva 8 em quatro jornadas). É ele que o Benfica teme, mais do que qualquer outro, no jogo desta noite.

O internacional inglês é hiperactivo e aborrece-se com facilidade. Durante o enclausuramento imposto por Fabio Capello na selecção de Inglaterra durante o Mundial de 2010 na África do Sul, Rooney deixou o ginásio e recusou-se a fazer exercício. O resultado foi devastador quando regressou a Manchester, onde assinou umas das suas piores épocas - marcou 11 golos em 27 jogos. Há um ano, um caso extraconjugal apareceu em todos os jornais, a sua má forma e a ameaça de que trocaria o United pelo City pareciam ter encerrado a porta de Old Trafford.

Agora reapareceu um homem mudado. Quando apareceu em Maio no clube, o corpo clínico criou um programa específico que ele ignorou: "Nem sequer olhei para ele. Honestamente, não fiz pesos, não fui ao ginásio, nem sequer corri. Nada", atirou. "A melhor coisa que me aconteceu foi não ter feito nada". Mas, olhando para a sua figura, tinha engordado pouco mais de dois quilos. Alex Ferguson está radiante com Rooney, totalmente recuperado dos traumas do ano passado. O avançado aponta o dia da mudança: "Foi o dia de Ano Novo, estava contente por deixar 2010 para trás e começar tudo de novo".

Além do óbvio prazer que Rooney demonstra ter no seu papel principal neste United, a equipa reforçou-se este ano com as chegadas de Ashley Young, David de Gea e Phil Jones. Foi para agradar ao camisola 10 que apontou o dedo à falta de competitividade do United.

"É difícil tentar fazer as coisas e elas não saírem, mas consegui superar isso e estou a jogar o meu melhor futebol desde há muito tempo", lembrou Rooney, que, segundo Jorge Jesus, nem parece britânico no seu estilo, mas latino.

"O United é uma equipa que tem jogadores muito criativos na frente e o Rooney está a passar a melhor fase da carreira. Ele de inglês tem pouco, tem mais de brasileiro, argentino, português ou espanhol. É um jogador que decide", destacou o treinador do Benfica. É ele que a defesa benfiquista teme.

O único triunfo do Benfica sobre o United registou-se em Lisboa, em Dezembro de 2005, com o triunfo por 2-1, resultado que ditou a eliminação da equipa de Alex Ferguson ainda na fase de grupos, pela primeira e única vez desde 1994. O único jogador que alinhou nesse encontro foi Luisão, enquanto do lado do United se mantêm Rio Ferdinand (ficou em Manchester), Park, Giggs, Rooney e Fletcher. O resultado foi também a última vez que o Benfica conseguiu garantir a passagem aos oitavos-de-final. Para repetir o feito é preciso travar o orgulhoso Rooney, ele que voltou com mais cabelo e um aumento da auto-estima.

O aumento capilar caríssimo levou-o a colocar uma foto no seu Twitter. "Passava muito tempo em frente ao espelho nesses dias. Tenho a certeza de que alguns jornalistas sabem o stress que é começar a ficar careca, por isso tomei a decisão. Mas não vou ficar igual ao Cristiano Ronaldo".

Jesus versus Ferguson

Apesar de assumir que o Manchester United, finalista da Champions na última temporada, é favorito no Grupo C, Jorge Jesus reforçou que o Benfica poderá surpreender e vencer a formação inglesa apenas pela segunda vez na sua história. "É uma das melhores equipas do mundo, mas isso não nos vai inibir nem fazer mudar as nossas ideias. Estamos preparados. Quando tivermos a bola, vai ser igual, como se estivéssemos a jogar contra o Vitória de Guimarães ou outra equipa qualquer", destacou o treinador, acrescentado que o argentino Aimar será titular. "Poupámos o Pablo frente ao V. Guimarães de forma a podermos lançá-lo logo de início frente ao Manchester United", adiantou.

Ora, é precisamente o argentino que Alex Ferguson mais teme no adversário. O treinador do United disse que a prova ainda vai no início, pelo que tudo é possível. "Este é apenas o primeiro jogo e anda falta muito para saber quem passa o grupo. O Benfica tem bons jogadores, com bom toque de bola, vai ser um jogo fantástico. Aimar é o jogador que mais temo. Já o conheço desde que defrontámos o Valência. Mas o Benfica tem uma boa equipa. Jogadores como Luisão e Garay são difíceis de bater", lembrou o escocês.