Futebol internacional

Maiores clubes europeus querem reduzir o calendário

O Manchester United é um dos clubes que defende as novas ideias para um calendário internacional
Foto
O Manchester United é um dos clubes que defende as novas ideias para um calendário internacional Phil Noble/Reuters (arquivo)

Os maiores clubes do futebol europeu apelaram nesta terça-feira à FIFA para que reduza o calendário internacional a seis datas duplas por época, com excepção para a altura dos principais torneios.

A proposta para reduzir os compromissos internacionais aos jogos “com significado” foi feita depois de reunião com cerca de 150 dos maiores e mais ricos emblemas do “velho continente”.

A Associação Europeia de Clubes (ECA) pretende que haja apenas seis datas (com dois jogos cada) a cada dois anos do período de qualificação para os Europeus ou Mundiais.

“Seria o ideal sob o ponto de vista dos clubes”, admitiu o alemão Karl-Heinz Rummenigge, presidente da ECA.

O calendário actual da FIFA permite às selecções chamar futebolistas para nove datas duplas, mais seis particulares, num total de 24 jogos.

Esta é uma das muitas queixas dos clubes quanto à forma como a FIFA governa o futebol mundial - os “patrões” sugerem que os particulares se disputem em Junho e Agosto.

“Recebi claros sinais de Joseph Blatter (FIFA) e Michel Platini (UEFA) de que reconhecem os nossos pedidos, mas não é fácil convencer as associações a seguir os nossos anseios”, acrescentou Rummenigge.

Uma das ideias do dirigente é reduzir os grupos de qualificação de seis para quatro equipas, uma medida “a favor da qualidade e não da quantidade”. “Às vezes, menos dinheiro é mais”, vincou.