Futebol

Ao jogo não faltou um árbitro mas ao Sporting ainda faltam golos

Ainda não foi desta vez que o Sporting venceu na I Liga
Foto
Ainda não foi desta vez que o Sporting venceu na I Liga Enric Vives-Rubio (arquivo)

Não faltou um árbitro para o jogo entre o Beira-Mar e o Sporting. Aos “leões” candidatos ao título, no entanto, faltou uma baliza maior e melhor pontaria dos seus jogadores, que neste domingo somaram o terceiro empate consecutivo em jogos oficiais.

O empate, sem golos, em Aveiro, com o Beira-Mar foi o segundo do Sporting em duas jornadas do campeonato e deixou-o já com quatro pontos a menos do que o FC Porto e também em desvantagem para o Benfica.

Num encontro marcado, à partida, pela recusa dos árbitros em apitá-lo, o confronto entre o esforço defensivo do Beira-Mar e a falta de qualidade do Sporting no momento de rematar resultou num nulo que colocou as duas equipas com dois pontos. Os visitados mereceram o aplauso dos seus adeptos no final, os visitantes foram assobiados pelos seus.

Domingos Paciência fez alterações na sua equipa titular. Saíram André Santos, Postiga e o lesionado Jeffren e entraram Matias Fernández, Wolfswinkel e Diego Capel, mas rapidamente o treinador percebeu que as coisas não estavam a funcionar.

Depois de uma entrada forte, mas inconsequente da sua equipa, Domingos respondeu a uma melhor momento do Beira-Mar com um dupla substituição ainda na primeira parte (36’). Matias Fernández e Yannick Djaló foram os castigados da má primeira parte sportinguista, entrando para os seus lugares Postiga e Izmailov, numa aposta mais ofensiva e que traduzia a pressão de vencer a que o Sporting estava obrigado. A terceira substituição, ao intervalo, foi forçada devido a lesão de Rodríguez.

Da primeira parte, além do bom desempenho do trio de arbitragem improvisado comandado por Fernando Martins, árbitro de 1.ª categoria distrital B, destacaram-se a técnica e inteligência de Capel, um jogador à parte no jogo de Aveiro, e a boa exibição de Rui Sampaio.

Não se pode dizer que o Sporting tenha subido imenso de nível na segunda metade, mas as oportunidades aumentaram.

Carriço, após canto, teve uma grande oportunidade no primeiro lance, mas não conseguiu o que mais alguns dos seus colegas, como Postiga, também não conseguiriam mais tarde: desviar a bola de Rui Rego. Mas o momento que pareceu condenar o Sporting ao nulo aconteceu a 15 minutos do fim. Depois de um cruzamento da direita, Capel, quando teria 99 por cento de probabilidade de inaugurar o marcador, permitiu o corte de Pedro Moreira, o lateral-direito de um quarteto defensivo do Beira-Mar que pode sair satisfeito com o trabalho realizado no Estádio Municipal de Aveiro.

POSITIVOCapel

Apesar de ter protagonizado o falhanço do jogo, foi o jogador mais entusiasmante da partida. O Sporting viveu muito dos lances do espanhol, um jogador de grande qualidade, mas que não chegou.


André Marques

Foi um dos melhores dos que pertencem ao Sporting, mas infelizmente para os “leões” está cedido ao Beira-Mar. Muitos cortes nos momentos de maior domínio dos visitantes.


Trio de arbitragem

Alguns erros, mas, à primeira vista, nenhum extraordinário. Num cenário complicado, a equipa de recurso liderada por Fernando Martins portou-se bem.


NEGATIVOSporting

Teve várias oportunidades, mas para todos os efeitos não ganhou um jogo que precisava de vencer. Faltou maior eficácia e um estilo mais fluído.


Ficha de jogo

Beira-Mar 0Sporting 0

Jogo no Estádio Municipal de Aveiro. Assistência Cerca de 18.000 espectadores.

Beira-Mar

Rui Rego, Pedro Moreira, Yohan, Hugo, André Marques, Rui Sampaio, Nuno Coelho, Artur (Dominic, 85’), Nildo, Cristiano (Joãozinho, 62’) e Zhang (Balboa, 79’). Treinador Rui Bento

Sporting

Rui Patrício, João Pereira, Polga, Rodriguez (Carriço, 46’), Evaldo, Rinaudo, Yannick Djaló (Izmailov, 36’), Schaars, Matias Fernandes (Hélder Postiga, 36’, Capel e Van Wolswinkel.Treinador Domingos Paciência

Árbitro Fernando Martins, de Aveiro. Amarelos Pedro Moreira (65’), André Marques (81’) 
e Artur (85’).

Notícia actualizada às 22h04
Sugerir correcção