CDS/PP-M diz que é preciso apurar responsabilidades

Falta de liquidez da Região Autónoma da Madeira é fruto de “políticas irresponsáveis”

O presidente do PS-M, Jacinto Serrão, disse hoje que as dificuldades económicas da Madeira resultam de uma política “irresponsável” do PSD-M e do Governo Regional chefiado por Alberto João Jardim.

Jacinto Serrão reagia, assim, ao discurso de Alberto João Jardim na sexta-feira à noite na rentrée política na ilha do Porto Santo onde reconheceu que a Região Autónoma da Madeira necessita “urgentemente” de liquidez, acreditando ser possível um acordo com o Governo para solucionar a questão financeira.

“Acho que o Governo Regional está a demonstrar uma grande falta de responsabilidade porque as derrapagens financeiras e o aumento galopante da dívida pública decorrem de erros clamorosos que são do passado e do presente ao assumir opções erradas em termos orçamentais”, disse Jacinto Serrão à Lusa.

O líder dos socialistas madeirenses realçou que “há muito que o PS-M vem alertando para os perigos desta falta de responsabilidade do PSD-M e de Alberto João Jardim” e lamenta “a imagem que a Madeira passa para o exterior, a nível nacional e da União Europeia, de falta de credibilidade em consequência das políticas desastrosas que nos governam há mais de 30 anos”. “Em vez do presidente do Governo Regional continuar a esbanjar dinheiro em obras inúteis devia assumir uma política diferente de resposta às verdadeiras prioridades da Madeira”, concluiu.

Apurar responsabilidades

O líder do CDS/PP-M, José Manuel Rodrigues, encara por seu turno a posição de Alberto João Jardim de que “o problema é liquidez” e que a Madeira “precisa urgentemente dessa liquidez para poder pagar os fornecedores em atraso”, como o reconhecimento de que “a Madeira tem um problema de liquidez e que, finalmente, reconhece que deve milhões de euros às empresas privadas”.

O presidente dos populares madeirenses lamentou, no entanto, ser “uma pena que Alberto João Jardim não reconheça as suas responsabilidades na situação financeira a que a Madeira chegou”.

“O CDS/PP é favorável a um apoio da República que resolva o problema financeiro da Região e a dívida colossal que foi contraída pelo Governo Regional do PSD e, em muitos casos, mal aplicada mas a pergunta que faço é esta: será que quem conduziu a Madeira à falência é a melhor pessoa para tirá-la da falência?”.

Alberto João Jardim, que há mais de 30 anos preside ao Executivo regional, justificou a dívida da Madeira com o “ataque financeiro” do Governo socialista através da Lei das Finanças Regionais.

Sugerir correcção