Empregada de hotel chegou ao hospital "em lágrimas"

Caso Strauss-Kahn: Relatório médico diz que Diallo foi violada

Após alegada violação de Strauss-Kahn, Diallo chegou ao hospital acompanhada pela polícia
Foto
Após alegada violação de Strauss-Kahn, Diallo chegou ao hospital acompanhada pela polícia Todd Heisler and Shannon Stapleton/Reuters

“Diagnóstico: agressão. Causa das lesões: agressão. Violação”. Foi esta a conclusão final do relatório médico realizado pelo hospital nova-iorquino que examinou Nafissatou Diallo a 14 de Maio de 2011, após o suposto abuso sexual por Dominique Strauss-Kahn, informou o jornal L’Express.

O jornal conseguiu ter acesso ao relatório e publicou online o conteúdo. Segundo o L'Express, as primeiras linhas relatam que a paciente estava “alerta, capaz de se mover sozinha" e que a sua pele estava "quente e seca”. O relatório diz ainda que Diallo chegou de ambulância, acompanhada por um polícia do comissariado de Midtown.

O documento descreve o suposto comportamento da vítima à chegada ao hospital: “Em lágrimas. Ela relata o incidente de forma narrativa. Interrompe-se, faz pausas ao descrever o acto de felação.”

Esta é a história relatada no texto do processo cível movido por Ken Thompson, explicou o L'Express: “O homem nu, de cabelo branco, tranca a porta e puxa-a para a cama”. Depois, ao fundo do corredor, "ele rasga os seus collants, agarra a parte exterior da sua zona vaginal (...), empurra profundamente o seu pénis contra a boca dela, agarrando-a pelos cabelos”.

O L’Express acrescenta ainda a descrição feita pelo médico que atendeu Diallo: “Confusão, dores musculares, tensão (...). Ela sofre de dores no ombro esquerdo, mas, diz ela, muito menos do que no início da tarde.” Na última página do documento figura um esquema da zona vaginal da vítima, revelando a existência de um traumatismo.