Futebol

Treinador romeno afasta Mutu da selecção para sempre

O seleccionador romeno de futebol, Victor Piturca, anunciou quarta-feira o afastamento para sempre de Adrian Mutu da selecção, depois de o avançado ter estado sem autorização numa festa nocturna dois dias antes do jogo particular com São Marino.

A mesma sanção foi aplicada ao defesa Gabriel Tamas, dos ingleses do West Bromwich Albion, que acompanhou Mutu na noitada, esclareceu Piturca, no final da vitória da Roménia sobre São Marino, 1-0, quarta-feira.

“Os dois estão definitivamente excluídos da equipa nacional”, disse o técnico, acrescentando: “Comigo as regras são restritas e eles deviam sabê-lo. Estou desolado por perdermos dois bons jogadores”.

De acordo com relatos da imprensa, os dois jogadores, reincidentes neste tipo de comportamento, escaparam do hotel onde a selecção estava hospedada, em Rimini, na noite de segunda-feira.

Mutu disse compreender “a decisão de Piturca”, mas considerou-a exagerada, uma vez que só “se atrasaram uma hora” relativamente às ordens do treinador.

Os dois jogadores vão falhar assim os jogos frente ao Luxemburgo (2 de Setembro) e França (a 6, em Bucareste) da fase de qualificação para o Euro2012.

Mutu, 32 anos, actualmente no modesto Cesena da primeira liga italiana, depois de ter abandonado a Fiorentina, tem um passado recheado de incidentes e castigos devido ao seu comportamento.

No ano em que o técnico português José Mourinho chegou ao Chelsea, 2004, foi suspenso por dois anos por consumo de cocaína. Anos depois acabou por ser condenado pela justiça a pagar uma indemnização de 17,2 milhões de euros ao clube londrino.

Em Janeiro de 2010, já na Fiorentina, acusou positivo por utilização de sibutramina num controlo antidoping, tendo sido suspenso por nove meses.

Poucos dias depois do regresso à equipa, em Outubro, esteve envolvido numa briga num bar e, já durante a época, esteve quase a ser expulso da Fiorentina devido ao seu comportamento durante um treino.