Imitação

Há um clone do Ikea na cidade das lojas falsas da Apple

O tema azul e amarelo faz parte da imagem da marca sueca
Fotogaleria
O tema azul e amarelo faz parte da imagem da marca sueca Jason Lee/Reuters
As semelhanças chegam a pormenores como os sacos e os lápis
Fotogaleria
As semelhanças chegam a pormenores como os sacos e os lápis Jason Lee/Reuters
As semelhanças chegam a pormenores como os sacos e os lápis
Fotogaleria
As semelhanças chegam a pormenores como os sacos e os lápis Jason Lee/Reuters
A loja preserva as mesas de madeira minimalistas do Ikea
Fotogaleria
A loja preserva as mesas de madeira minimalistas do Ikea Jason Lee/Reuters
A loja de Kunming tem quatro andares para a exposição do mobiliário
Fotogaleria
A loja de Kunming tem quatro andares para a exposição do mobiliário Jason Lee/Reuters

Depois de, recentemente, terem sido encontradas cinco lojas falsas da Apple em Kunming, no sudoeste da China, agora foi tornado público que a mesma cidade tem uma loja que imita a maior retalhista de mobiliário do mundo, a Ikea.

Desde o tradicional tema azul e amarelo, aos sinais, espaços (inclusive um restaurante), peças de mobiliário e até mesmo aos sacos e lápis miniaturas, tudo parece igual o Ikea, relata a agência Reuters. Mas esta loja do sudoeste da China não pertence à multinacional sueca.

Com o nome “11 Furniture” (que, em chinês, soa praticamente igual ao nome da empresa sueca neste país asiático), a loja de dez mil metros quadrados e quatros andares procura, ao que tudo indica, imitar não apenas o aspecto e o estilo, mas toda a experiência da marca Ikea. Quanto às peças de mobiliário são feitas por encomenda, e não empacotadas ao estilo da empresa sueca. Uma tendência que parece marcar esta nova forma de pirataria que já chegou ao gigante asiático.

Este tipo de imitação “já acontece há 25 anos [na China]. A maioria das marcas estrangeiras já foram falsificadas”, apesar de os produtos serem, em muitos casos, originais, explica Paul French, fundador da empresa de consultoria de mercado “Access Asia”, citado pela Euronews.

Em resposta à descoberta da loja em Kunming, o Ikea, que possui nove lojas na China e pretende abrir entre uma a duas em cada ano, já fez saber que tem equipas jurídicas a salvaguardar os direitos de propriedade intelectual, quer ao nível global, quer local (em cada país).

“Sendo uma das maiores companhias de mobiliário doméstico do mundo, a Ikea considera crucial a protecção dos seus direitos de propriedade intelectual”, disse a subsidiária chinesa do Ikea, num comunicado citado pela Reuters. Do lado da “11 Furniture” não houve qualquer esclarecimento.

A descoberta da loja clone da retalhista de mobiliário e decoração sueca na cidade de Kunming acontece depois de, na semana passada, cinco lojas falsas da Apple terem sido encontradas na mesma localidade. O facto levou as autoridades a investigarem 300 lojas de material electrónico na cidade e a ordenar o encerramento de duas das cinco lojas falsas, por falta de licença comercial.