Pouca procura gerou desinteresse

Espanhóis aceitam fim da ligação de comboios Porto-Vigo

Serviço ligava Porto a Vigo
Foto
Serviço ligava Porto a Vigo Paulo Pimenta/Arquivo

Júlio Ermida, porta-voz da operadora ferroviária espanhola, Renfe, disse ao PÚBLICO que esta empresa “respeita e aceita a decisão da CP” de suprimir o serviço internacional para Vigo e que o mesmo não era interessante na perspectiva espanhola dada a sua fraca procura.

“A Renfe tem assegurados oito serviços diários em cada sentido entre Vigo, Redondela e O Porriño. Tuy [na fronteira com Portugal] quase não tem passageiros”, disse.

A mesma fonte diz que a CP explicou à Renfe as razões da supressão deste serviço. E quais foram? Júlio Ermida diz que a Renfe não as divulga, mas que basta ver a imprensa galega para se perceber que foram razões económicas.

Esta não é a primeira vez que a CP anuncia o fim da ligação Porto-Vigo, que esteve prestes a ser interrompido no Verão de 2005. Na altura foram também motivos relacionados com a fraca procura que levaram o então presidente da CP, António Ramalho, a tentar acabar com este serviço, mas os protestos que se levantaram do lado espanhol, sobretudo das autoridades galegas, obrigaram a CP a recuar.

Na altura a própria secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, defendeu a manutenção desta ligação internacional, tanto mais que então dava-se como certo para um futuro próximo a construção da linha de alta velocidade Porto-Vigo.

Em 2005 a posição da Renfe foi idêntica à actual, distanciando-se da decisão portuguesa: “tratando-se de um comboio português da CP, tem de ser essa empresa a gerir as previsões dessa linha”.

Assentos incómodos e viagem barulhenta

A ligação directa Porto-Vigo iria comemorar 100 anos em 2013. Na realidade, começou por ser um serviço de Lisboa a Vigo, trissemanal, que rapidamente passou a diário. Em 1952 esta ligação era reforçada com uma carruagem atrelada em Campanhã ao comboio internacional que seguia directamente para La Coruña.

Hoje o “comboio internacional” (a designação é da CP) Porto-Vigo é realizado por uma automotora que, apesar de modernizada na década de 90, data dos anos 70 (construída na Sorefame) e é igual à que a transportada ferroviária utiliza no serviço regional.

Não é confortável porque os assentos são incómodos, é barulhenta e trepida imenso. Demora três horas e 20 minutos a realizar o trajecto entre Porto e Vigo.

Notícia corrigida às 12h47:

Corrige no último parágrafo a duração da viagem, 3h20m e não 4h20m.