Perfil: Nuno Crato, ministro da Educação

O escolhido para assumir a pasta da Educação é professor catedrático de Matemática e Estatística no ISEG, em Lisboa, onde se licenciou, e é pró-reitor para a Cultura Científica da Universidade Técnica de Lisboa.

Crato foi destacado pela UTL para presidente (CEO) da Comissão Executiva do Taguspark. Foi ainda presidente e coordenador científico do Centro FCT Cemapre até Janeiro de 2011. Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) de 2004 a 2010 e é presidente da Assembleia Geral do Centro Internacional de Matemática (CIM).

Estudou na Faculdade de Ciências de Lisboa, licenciou-se em Economia no ISEG, onde depois obteve o grau de mestre em Métodos Matemáticos para Gestão de Empresas. Trabalhou na Norma, foi director de estudos e consultoria da Norma-Açores e trabalhou como consultor de planeamento e de previsão económica. Doutorou-se em Matemática Aplicada nos Estados Unidos e trabalhou depois nesse país muitos anos, como investigador e professor universitário.

O seu trabalho de investigação incide sobre processos estocásticos e séries temporais com aplicações várias, nomeadamente computacionais e financeiras.É membro de várias sociedades científicas internacionais, nomeadamente da American Statistical Association e do International Institute of Forecasters. Foi Presidente do International Symposium on Forecasting em 2000. Tem trabalhos de investigação publicados em diversas revistas internacionais da especialidade, nomeadamente Statistical Papers, Comp. & Operations Research, Communications in Statistics, J. of Econometrics, J. of Automated Reasoning e J. of Forecasting.

Em paralelo com o seu trabalho académico, tem-se empenhado nadivulgação científica. Colabora regularmente na imprensa, principalmente no semanário "Expresso" onde mantém desde 1996 uma coluna semanal de divulgação científica, e tem colaborado com vários programas de televisão, nomeadamente o 4xCiência, o 2010 e oABCiência, e de rádio, nomeadamente o 3 minutos de ciência na Rádio Europa.

Participa actualmente como residente do programa Plano Inclinado. É autor de "Zodíaco: Constelações e Mitos" (Gradiva, 2001),"Passeio Aleatório" (Gradiva, 2007) e "Matemática das Coisas" (SPM/Gradiva, 2008); é co-autor de "Eclipses" (Gradiva, 1999), "Trânsitos de Vénus" (Gradiva, 2004), "A Espiral Dourada" (Gradiva, 2006), de "Relógios de Sol" (CTT, 2007) e outras obras de divulgação.

Publicou também "O Eduquês em Discurso Directo: Uma Crítica da Pedagogia Romântica e Construtivista" (Gradiva, 2006),coordenou "Desastre no Ensino da Matemática: Como Recuperar o Tempo Perdido" (SPM/Gradiva, 2006), organizou a colectânea "Ser Professor, de textos de Rómulo de Carvalho" (Gradiva, 2006), e coordenou a conferência internacional Gulbenkian de educação de 2008, Matemática e Ensino: Questões e Soluções. É membro do Conselho Científico da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

A Sociedade Europeia de Matemática atribuiu-lhe em 2003 o Primeiro Prémio do concurso Public Awareness of Mathematics pelo seu trabalho de divulgação. A Comissão Europeia galardoou-o em 2008 com um European Science Award, ficando em segundo lugar na categoria de Science Communicator of the Year. Em 10 de Junho de 2008 foi agraciado com o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique.