Futebol

Platini critica excesso de estrangeiros e usa FC Porto como exemplo

Michel Platini
Foto
Michel Platini DR

Michel Platini, presidente da UEFA, criticou o excesso de estrangeiros nos clubes europeus e deu como exemplo a final da Liga Europa, em que FC Porto e Braga utilizaram 14 jogadores de outros países (entre os 22 titulares).

“Se o FC Porto é de Portugal, devia jogar com jogadores portugueses em vez de comprar a outros países”, disse Platini, em Nyon, citado pela Reuters.

“Os jovens brasileiros e argentinos estariam melhor a jogar nos seus campeonatos”, acrescentou o presidente da UEFA, apresentando-se como um defensor da “identidade [local]”.

Platini mostrou-se ainda contra a compra de clubes por investidores estrangeiros, referindo-se ao caso de o Paris Saint-Germain, que viu uma empresa do Qatar adquirir 70 por cento do seu capital.

“Não sou a favor de donos estrangeiros [nos clubes], mas são as leis que existem em Inglaterra e França. Não podemos fazer nada”, queixou-se o dirigente. “Um clube pode ter um dono do Qatar, um director-geral de Itália, um treinador francês e jogadores de 25 países”.

“O futebol sempre esteve baseado na identidade, por regiões ou países, por isso não sou muito fã da ideia [de ter estrangeiros]”, acrescentou Platini, referindo-se a um intercâmbio que cresceu exponencialmente com a chamada lei Bosman, que liberalizou, nos anos 1990, a circulação de jogadores no espaço na União Europeia.

“Talvez eu seja antiquado”, finalizou Platini, que jogou no Nancy e no Saint Etienne, de França, antes de alinhar cinco épocas na Juventus (Itália).

Sugerir correcção