Industriais e sindicatos chegaram a acordo

Sector do calçado vai ter aumento salarial

Noventa e cinco por cento do calçado português é exportado
Foto
Noventa e cinco por cento do calçado português é exportado Manuel Roberto (arquivo)

Os industriais do calçado anunciaram terem chegado a acordo com os sindicatos para um aumento salarial de dois por cento para os trabalhadores da fileira em 2011, considerando “justo” premiar o bom desempenho do sector.

“Ainda que seja expectável, nos próximos meses, uma degradação da capacidade competitiva das empresas pela introdução de fortes medidas restritivas à economia portuguesa, a Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado entendeu que se deveria premiar os trabalhadores, sendo justo realçar o bom desempenho global do sector que não só cresceu em 2010 como está a evidenciar um registo muito positivo no início do ano”, adiantou à Lusa fonte oficial da associação patronal.

Segundo a Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado (APICCAPS), o acordo para a revisão do Contrato Colectivo de Trabalho, que abrange cerca de 40.000 trabalhadores, resulta de “meses de intensas negociações” com os sindicatos e a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Peles de Portugal (FESETE).

“Foi um processo complexo, que teve início em Fevereiro, tendo sido possível que a Comissão Negociadora Sindical liderada pela FESETE e a APICCAPS dessem um sinal positivo ao país, numa altura em que a esmagadora maioria dos contratos colectivos encontram-se ainda por negociar, não obstante o exigente enquadramento competitivo actual”.

Apesar das exportações manterem a tendência de crescimento – 18 por cento nos primeiros quatro meses face ao período homólogo do ano passado, para os 495 milhões de euros – as empresas de calçado estão preocupadas com o aumento do preço das matérias-primas.

Depois de no último ano, as várias matérias-primas necessárias para o fabrico de calçado (peles, solas, palmilhas, atacadores, entre outras) terem aumentado, em média, mais de 25 por cento, a APICCAPS alerta que “nas últimas semanas, houve uma nova escalada dos preços”.

Em comunicado, os industriais explicam que “é uma situação muito difícil de gerir uma vez que as empresas apresentaram as suas colecções e fixaram os preços com os clientes internacionais há já três meses”, o que levou a APICCAPS a “avaliar a razoabilidade do aumento das matérias-primas e a por a hipótese de solicitar a intervenção das entidades competentes caso estejam em causa práticas de distorção da concorrência”.

O sector do calçado contabiliza 1354 empresas, que empregam cerca de 32700 trabalhadores, com uma produção anual de 62 milhões de pares, dos quais mais de 95 por cento se destinam à exportação para 132 países.