Cavaco Silva quer rapidez na formação do novo Governo

Foto
Cavaco tem em agenda o encontro Rui Gaudêncio (arquivo)

Apesar de não o poder convidar formalmente - isso só acontecerá depois de publicados os resultados eleitorais e de ouvir os partidos -, o Presidente da República quer, com audiência de hoje a Passos Coelho, dar um sinal claro de que pretende que um novo Governo seja formado com rapidez.

Uma pretensão que foi comunicada por Belém informalmente aos sociais-democratas na noite das eleições que o PSD ganhou com 38,6 por cento dos votos, precisando agora do CDS-PP para conseguir uma maioria absoluta no Parlamento.

No PSD, a expectativa é que o Executivo possa entrar em funções no prazo de 15 a 20 dias, depois de negociações, que também pretende que sejam rápidas, com o CDS-PP de Paulo Portas.

Hoje de manhã, à TSF, Miguel Relvas, secretário-geral e porta-voz social-democrata, admitiu que ser desejável que Portugal já fosse representado por um novo executivo no próximo Conselho Europeu.

Fontes sociais-democratas admitem calendários muito apertados para o cumprimento do memorando de entendimento com a troika da União Europeia, FMI e Banco Central Europeu.

À tarde, reúne-se a comissão política do PSD, já depois da audiência em Belém, de Pedro Passos Coelho.

Depois da festa, no Marquês de Pombal, em Lisboa, o presidente do PSD jantou num restaurante da capital, sabe o PÚBLICO, com os dirigentes que lhe são mais próximos. A que juntaram alguns notáveis do partidos, entre eles vários ex-líderes como Marcelo Rebelo de Sousa, Luís Marques Mendes e Luís Filipe Menezes.

Notícia actualizada às 13h20