Lisboa

Três jovens detidos no Rossio já foram libertados

Fotogaleria
Testemunhas dizem que houve algumas bastonadas, a PSP nega Da Maia Nogueira
Fotogaleria
Detenções foram feitas pela Polícia Municipal Da Maia Nogueira
Fotogaleria
Polícia Municipal deslocou-se ao Rossio para apreender algum material Da Maia Nogueira

Os três jovens que foram detidos no Rossio foram libertados por volta das 19h30 de hoje, disse ao PÚBLICO a advogada que os representa.

Os três jovens foram detidos esta tarde, por volta das 15h00, no Rossio, em Lisboa, quando participavam numa assembleia popular promovida pelo movimento Democracia Verdadeira Já.

Segundo Renato Teixeira, da organização, a PSP apreendeu fotografias, material de som e boletins para um “referendo popular” que estava previsto acontecer ao longo do dia de hoje. “Sente-se representado no actual sistema democrático?” era uma das perguntas dos boletins.

Foi a presença no Rossio de material de propaganda e de som que levou a Polícia Municipal àquela praça de Lisboa, indicou ao PÚBLICO o oficial de serviço, chefe Ângelo Gonçalves. Desde o passado dia 24, o Rossio tem sido palco diário de “assembleias populares” e durante 12 dias vários jovens chegaram mesmo a acampar ali, sem que se tivesse registado qualquer intervenção policial.

Questionado sobre as razões que ditaram uma acção diferente hoje, o responsável da Polícia Municipal respondeu: “Não tenho conhecimento do que se passou nos outros dias. Como oficial de serviço, hoje tive conhecimento e mandei uma brigada”.

Segundo o chefe Ângelo Gonçalves, quando os agentes da Polícia Municipal tentavam identificar um jovem e apreender o material houve outros dois que “tentaram obstaculizar a acção” policial. Ambos foram já acusados também de “injúrias, resistência e coacção sobre os agentes”. Um dos elementos da Polícia Municipal foi agredido, acrescentou, embora não tenha sido necessário prestar-lhes assistência médica. O responsável da PM disse também que para além dos jovens que foram detidos, houve vários outros que também tentaram “obstaculizar” à acção da polícia, tendo-se gerado “tumultos” quer levaram a uma intervenção de agentes da PSP. “Foi utilizada a força estritamente necessária para repor a ordem pública”, adiantou.

Vários jovens afirmaram que foram agredidos com bastonadas. Uma das manifestantes tinha vergões vermelhos nas costas, que mostrou aos jornalistas. O oficial de serviço no Comando Metropolitano de Lisboa negou.

A PSP garantiu que quem fez as apreensões do material foi a Polícia Municipal. “A Polícia Municipal deslocou-se ao local para apreender algum material que eles lá tinham. Os ânimos exaltaram-se. A PSP foi chamada. E o Comando Metropolitano de Lisboa foi lá apenas para apoiar a Polícia Municipal”, disse ao PÚBLICO o oficial de serviço da PSP de Lisboa.
Na véspera das eleições legislativas o movimento Democracia Verdadeira Já queria marcar o dia com debates e reuniões de trabalho. Contudo, por volta das três da tarde, a polícia municipal e PSP apareceram no local, alegando que os jovens estavam a ocupar indevidamente a praça, contou Renato Teixeira. Testemunhas disseram ainda ao PÚBLICO que houve algumas bastonadas, algo que a PSP nega. “Não houve carga policial”, disse o oficial de serviço que confirma, contudo, alguns “empurrões”.

Luísa Acabado, advogada dos três jovens, adiantou que dois deles foram constituídos arguidos e terão que comparecer perante o juiz de instrução criminal na segunda-feira, às 10 horas da manhã. Foram acusados de obstrução à actuação da polícia, acrescentou. O terceiro jovem que foi conduzido à esquadra da Polícia Municipal, na Praça de Espanha, terá sido apenas identificado.

O material apreendido no Rossio continua na esquadra da Praça de Espanha.

Notícia actualizada às 20h37