Liga para a Protecção da Natureza

Projecto português para conservar lince-ibérico considerado um dos melhores da Europa

A espécie voltou a estar na ordem do dia, principalmente depois do sucesso dos centros de reprodução em cativeiro
Foto
A espécie voltou a estar na ordem do dia, principalmente depois do sucesso dos centros de reprodução em cativeiro Foto: Pedro Cunha/arquivo

O projecto da Liga para a Protecção da Natureza (LPN) que, ao longo de três anos, recuperou o habitat do lince-ibérico no Alentejo, foi esta semana distinguido como um dos seis melhores projectos europeus de conservação de um total de 59.

O projecto LIFE na região de Moura/Barrancos recuperou 16 hectares de área ardida e quatro quilómetros de vegetação ribeirinha, bem como 15 pequenas charcas para a fauna silvestre. Para recuperar as populações de coelho-bravo, a principal presa do lince-ibérico, foram criados 60 hectares de pastagens de leguminosas e gramíneas, cem abrigos artificiais de reprodução, 120 comedouros e 72 bebedouros.

Mas, para Eduardo Santos, um dos responsáveis pelo projecto (que decorreu de Outubro de 2006 a Dezembro de 2009), o melhor resultado foi a metodologia de parcerias com cerca de dez proprietários e gestores, numa superfície total de cerca de 7700 hectares. “Penso que pesou bastante o facto de trabalharmos desta forma aberta, com as pessoas, em prol de uma espécie para a qual nem sempre havia muita receptividade”, comentou hoje ao PÚBLICO.

O objectivo geral para a espécie Lynx pardinus, o felino mais ameaçado no planeta, é criar um corredor entre as populações existentes em Espanha e os territórios favoráveis em Portugal onde o lince já existiu. “Os habitats, em grande parte, continuam relativamente bem conservados, nomeadamente os azinhais e sobreirais e os grandes matagais mediterrânicos”, considerou Eduardo Santos, da organização que trabalha na recuperação do habitat da espécie desde 2004. O que ainda está mais longe de conseguir, acrescenta, é a recuperação das populações de coelho-bravo, espécie muito afectada pelas doenças mixomatose e febre hemorrágica viral.

Do trabalho dos últimos anos na conservação do lince-ibérico, Eduardo Santos salienta os progressos na receptividade das populações e a forma como a espécie voltou a estar na ordem do dia, principalmente depois do sucesso dos centros de reprodução em cativeiro em Espanha, desde 2007, e em Silves, em 2009. “Ainda quem nem todos estejam convencidos, a verdade é que estão mais alertados para o assunto”.

Desde 2007, a Comissão Europeia selecciona os melhores projectos LIFE Natureza que terminaram no ano transacto, com critérios como a melhoria no estatuto de conservação de uma espécie ou habitat, os efeitos a curto e a longo prazo e os impactos a nível regional, nacional e internacional. Depois, destes são escolhidos os seis melhores. No ano passado foram concluídos 59 projectos nos vários países, 18 foram distinguidos e destes, ainda foram seleccionados os seis melhores, um dos quais o da LPN.

O projecto LIFE “Recuperação do Habitat do Lince-Ibérico no Sítio Moura/Barrancos” foi co-financiado em 75 por cento pela Comissão Europeia e contou com a parceria da Fauna & Flora International e o Centro de Investigação e Intervenção Social.

A Liga continua no terreno com o novo projecto LIFE “Promoção do Habitat do Lince-Ibérico e do Abutre-Preto no Sudeste de Portugal”.