Avaliado em mais de 9 mil euros

Sex Pistols têm o vinil mais valioso de sempre

Os Sex Pistols encabeçam a lista dos 51 vinis mais valiosos de sempre
Foto
Os Sex Pistols encabeçam a lista dos 51 vinis mais valiosos de sempre DR

Uma gravação rara do famoso tema “God Save The Queen”, dos Sex Pistols, foi distinguido como o vinil mais valioso de sempre, avaliado em cerca de 9100 euros.

O single foi originalmente produzido pela A&M Records mas uma discórdia entre a editora, que temia a má publicidade que os Sex Pistols lhe podiam trazer, e a banda britânica levou a que a maior parte das cópias tivessem sido destruídas. Os Sex Pistols abandonaram a A&M Records ainda antes do lançamento do single e a editora não se empenhou mais na produção de “God Save The Queen”.

O tema foi gravado em 1977 e causou polémica logo no lançamento. Usando o nome do hino nacional britânico, os Sex Pistols ironizam e criticam a rainha e o futuro de Inglaterra. A música é considerada, nos dias de hoje, como uma das mais polémicas.

A conclusão é da revista “Record Collector” que elaborou um top dos 51 vinis mais valiosos de sempre e que representam os melhores investimentos em vinil de 2011, onde os Sex Pistols encabeçam a lista à frente de nomes como os Beatles ou os Rolling Stones.

“Quando se encontra um exemplar de um single ou de um álbum icónico em bom estado há um grande interesse e o mercado disposto a investir”, diz à BBC Ian McCann, editor da Record Collector, explicando que o problema destas edições raras é, muitas vezes, “as pessoas adorarem-nas e ouvirem-nas até morrer, sendo cada vez mais raro encontrá-las em boas condições.”

Segundo a revista, hoje só existem nove cópias destas de “God Save The Queen”, que terão sido distribuídas entre os funcionários da A&M Records.

Em segundo lugar do top surge o single “Please Please Me”, dos Beatles, produzido pela Black and Gold, avaliado em quase 4 mil euros.

O registo de estreia homónimo dos Rolling Stones, lançado em 1964, surge em quinto da lista, com a avaliação a rondar os 1100 euros.

Entre os 51 vinis raros, surgem ainda o álbum de estreia homónimo do saxofonista de jazz Hank Mobley, de 1957, e o álbum de estreia, também homónimo, de Wil Malone, de 1957.

Apesar dos valores apresentados na revista, quando estas peças vão a leilão o valor pode disparar e atingir preços bastante mais elevados. Em 2009, uma cópia inédita do single "Do I Love You (Indeed I Do)”, de Frank Wilson, foi vendida por cerca de 30 mil euros.