Ex-administradora do Benfica candidata pelo PSD-Porto

Foi por indicação pessoal de Pedro Passos Coelho que Teresa Leal Coelho, docente universitária, surge em segundo lugar na lista de candidatos a deputados pelo Porto. Também a inclusão de Miguel Frasquilho em terceiro lugar decorre de uma escolha do líder do PSD. Mas o mais surpreendente é mesmo a colocação logo a seguir ao cabeça de lista José Pedro Aguiar-Branco de uma candidata sem ligações conhecidas ao Porto e fortemente conotada com Lisboa. Docente da Universidade Lusíada, Teresa Coelho fundou com Passos Coelho o Movimento Pensar Portugal e integrou a candidatura do PSD à Câmara de Lisboa nas eleições intercalares de Julho de 2007. No seu currículo, tem ainda o facto de ter sido administradora da SAD do Benfica, no tempo em que o clube lisboeta era dirigido por João Vale Azevedo.

Ao PÚBLICO, Teresa Leal disse que o convite partiu do presidente do PSD e que a deixou "lisonjeada e satisfeita". "Estou convencida que me preparei durante toda a minha vida para isto. Tudo o que aprendi quero pôr ao serviço deste país", afirmou, explicando que gostaria de poder conciliar o Parlamento com a vida académica. Quanto à sua passagem pela SAD do Benfica, confessa que se trata de uma página virada na sua vida, mas também diz que se tratou de um "trabalho muito importante" do ponto de vista profissional. "Orgulho-me muito", declarou.

Outro nome que terá levantado alguma perplexidade é o do líder distrital da JSD do Porto, Simão Ribeiro. Ao que parece, terá apresentado inicialmente um currículo mencionando habilitações académicas relacionadas com o curso de Direito que não seriam rigorosas. O candidato, que ocupa o 13.º lugar da lista, confirmou ao PÚBLICO que a sua matrícula na Faculdade de Direito da Universidade do Porto tinha, de facto, prescrito, depois de ter sido obrigado durante pouco mais de um ano, por motivos pessoais de força maior, a faltar. "Paguei uma propina máxima e inscrevi-me agora como aluno extraordinário", disse Simão Ribeiro.

"O que eu indiquei no currículo é que sou estudante, não sei quem andou a inventar outras coisas. Podem acusar-me de não ter acabado ainda o curso, mas há dezenas de pessoas que ocupam cargos importantes e que levaram muitos anos a concluir os seus cursos", contrapõe o líder da JSD-Porto.