Previsões divulgadas hoje

Portugal vai continuar em recessão até 2012 e com desemprego recorde

FMI está a partir de amanhã em Portugal. Taxa de desemprego não vai parar de aumentar até 2012
Foto
FMI está a partir de amanhã em Portugal. Taxa de desemprego não vai parar de aumentar até 2012 Yuri Gripas/Reuters

Não é só este ano que a economia portuguesa vai contrair. O FMI prevê que, até 2012, Portugal continue em recessão e o desemprego baterá um máximo histórico.

De acordo com as previsões de Primavera do Fundo Monetário Internacional, que acabam de ser divulgadas, Portugal irá sofrer uma contracção do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,5 por cento este ano, a que se seguirá nova queda – de 0,5 por cento – em 2012. A economia nacional será mesmo a única da Europa a estar em recessão no próximo ano.

Quanto à taxa de desemprego irá atingir um novo recorde em 2012, atingindo 12,4 por cento da população activa. Este ano, a taxa de pessoas desempregadas deverá fixar-se nos 11,9 por cento, estima o FMI. Dentro da zona euro, só a Espanha, a Grécia e a Irlanda terão uma taxa de desemprego pior.

De acordo com a previsão de inflação do FMI, os preços deverão aumentar 2,4 por cento em Portugal este ano e outros 1,4 por cento no próximo. O défice externo deverá descer de 9,9 por cento, em 2010, para 8,7 por cento este ano. Em 2012, haverá nova redução, para os 8,5 por cento.

Nas suas últimas projecções, em Outubro, o FMI apontava para uma contracção do PIB de 1,4 por cento este ano, devido ao impacto das medidas de austeridade postas em marcha pelo Governo. Agora, a instituição reviu ligeiramente em baixa as suas previsões, apontando para uma quebra de 1,5 por cento este ano e para nova recessão em 2012.

Portugal será o único país da Europa em recessão

Portugal é mesmo o único país da Europa que continuará em recessão no próximo ano, mesmo quando comparado com os outros Estados mais fragilizados, como a Grécia e a Irlanda.

Depois de uma contracção do PIB de 4,5 por cento no ano passado e de 3 por cento este ano, a Grécia fechará 2012 a crescer 1,1 por cento. Já a Irlanda, que viveu uma recessão de 1 por cento em 2010, deverá já crescer timidamente este ano (0,5 por cento) e 1,9 por cento em 2012.

A Espanha deverá também crescer este ano e no próximo (0,8 e 1,6 por cento, respectivamente).

No total, a zona euro deverá crescer 1,6 por cento este ano e 1,8 por cento em 2012, impulsionada, sobretudo, pela maior economia europeia, a Alemanha, cujo PIB vai aumentar 2,5 por cento este ano e 2,1 no próximo.