Duarte Gomes recebeu nota “muito bom” no Benfica-FC Porto

Foto
A expulsão de Otamendi foi um dos casos polémicos do clássico DR

O observador do jogo, Fernando Mateus, escreveu no relatório enviado à Comissão de Arbitragem que “o árbitro teve um desempenho muito bom, com duas decisões cruciais de índole técnica, que tiveram influência positiva na evolução do jogo e no resultado”.

Segundo o relatório enviado à Comissão de Arbitragem, Duarte Gomes “assinalou bem as duas grandes penalidades” do encontro, uma a favor de cada uma das equipas.

O único erro apontado a Duarte Gomes foi a interrupção do jogo aos dois minutos, não dando a lei da vantagem ao Benfica e não punindo com cartão amarelo Otamendi, central do FC Porto.

No capítulo disciplinar, o observador também elogiou o trabalho do árbitro lisboeta, considerando que “teve a prestação adequada às incidências do jogo”, nomeadamente na expulsão de Otamendi (por acumulação de amarelos) e de Cardozo, com vermelho directo.

Na globalidade, Duarte Gomes foi elogiado por ter demonstrado “personalidade forte, assumindo decisões difíceis sem se deixar influenciar... pelo ambiente”.

A avaliação a Duarte Gomes é mesmo a segunda melhor do ano.

Os dois árbitros assistentes foram ambos avaliados com 3,5 (Bom).

A avaliação muito positiva por parte do observador contrasta com as críticas apontadas pelo FC Porto ao árbitro e também pela análise feita por vários órgãos de comunicação social.

O jornal “A Bola” deu-lhe nota quatro (de zero a dez), considerando que errou na grande penalidade a favor do Benfica e na expulsão de Otamendi; o Record , por sua vez, aceita a marcação da penalidade e a expulsão de Otamendi, mas critica o perdão de cartões vermelhos a Javi García e César Peixoto, enquanto os antigos árbitros que formam o painel de especialistas do jornal “O Jogo” se dividiram na análise da actuação do árbitro.

O PÚBLICO deu nota 4 (de zero a dez) a Duarte Gomes.